Um campeão olímpico nos Jogos Escolares da Juventude

Luciano Neves
Esportes | Publicado em 05/09/2019 às 18:46

Maurício, Talmo, Marcelo Negrão, Janelson, Jorge Edson, Tande, Giovane, Paulão, Pampa, Carlão, Douglas Chiarotti e Amauri. Os mais antigos que sempre tiveram uma quedinha pelo voleibol vão se recordar destes nomes. Afinal de contas, eles fizeram parte da Seleção Brasileira de vôlei, que conquistou a primeira medalha de ouro nos Jogos Olímpicos. A conquista foi em Barcelona, no dia 09 de agosto de 1992. A vitória sobre a Holanda por 3 a 0, inclusive, completou 27 anos no mês passado. Era um tempo em que o voleibol era bem diferente. Só para ilustrar, naquela época, cada set tinha 15 pontos. Mas ainda existia a vantagem, ou seja, a equipe só confirmava o ponto se fosse a detentora do saque. Logo, o voleibol tinha partidas intermináveis. Com a extinção da vantagem, o jogo ficou mais dinâmico e menos demorado, mesmo com a contagem de pontos sendo alterada para 25 para marcar o fim do set.

Jorge Edson vivenciou todas essa mudanças significativas no vôlei. E leva todo o conhecimento adquirido nessas quase três décadas depois do jogo épico contra a Holanda para o voleibol de base. Ele é técnico do time de vôlei feminino do Colégio Expoente, de Curitiba. E trouxe suas meninas para a disputa da fase regional dos Jogos Escolares da Juventude, em Cascavel. O time foi o representante do Estado do Paraná na modalidade.

A trajetória do time na competição foi boa. Foram três vitórias nos três primeiros jogos, todas por 2 a 0. Na última quarta, o Expoente superou o IPE, do Espírito Santo com parciais de 25/19 e 25/17. Os dois times voltaram a se enfrentar na tarde desta quinta (05) na decisão da medalha de ouro e nova vitória do Expoente por 2 a 0, com parciais de 25/10 e 25/10. Portanto, o time do técnico Jorge Edson selou a passagem por Cascavel com uma campanha impecável, sem nenhum set perdido. Campeão e vice nesta modalidade estão classificados para a fase final, que será em Blumenau, no mês de novembro. Mas o importante para o campeão olímpico é consolidar o voleibol na base. “É um trabalho dignificante. É muito difícil, mas me faz muito bem. Trata-se de uma garotada que quer muito, se dedica bastante. Tem muitas coisas hoje que são bem diferentes da época em que eu comecei a jogar e que te levam para o outro caminho. Mas aqui, essas meninas querem muito ingressar nesse mundo esportivo. E queremos dar o máximo para que elas continuem conosco”, disse ele.

Jorge Edson reconhece que o histórico vitorioso com a Seleção Brasileira de voleibol em 1992 serve de incentivo para as meninas do Expoente. Afinal de contas, elas ouvem as orientações de um campeão mundial. “Elas sabem que essa vida de atleta é bem difícil, como todas as outras funções. Mas temos vários benefícios. Eu estou há três anos junto com essa equipe, várias dessas meninas começaram comigo, conhecemos vários lugares e elas perceberam as muitas condições que o esporte proporciona. Tem sido muito bom estar com elas neste período”, finalizou ele.

Handebol

Irmão do atleta olímpico Haniel, Davi Langaro vai disputar a edição nacional dos Jogos Escolares da Juventude, entre 16 e 30 de novembro, em Blumenau (SC). Atleta do Colégio Amorim Vila Guilherme, de São Paulo (SP), Davi ajudou a sua equipe na vitória sobre o Colégio Estadual Frederico Jayme (GO), por 24 a 15, na tarde desta quinta-feira (05), no ginásio da FAG, em Cascavel (PR).



Relacionados

Esportes | 11-10-2019 16:34

Serpente Tricolor com ‘sangue nos olhos’

Serpente Tricolor com ‘sangue nos olhos’

Esportes | 06-10-2019 00:09

Cascavel Futsal perde para o Jaraguá na prorrogação e se despede da Liga

Cascavel Futsal perde para o Jaraguá na prorrogação e se despede da Liga

Esportes | 05-10-2019 09:09

O jogo do ano para o Cascavel Futsal

O jogo do ano para o Cascavel Futsal

Esportes | 04-10-2019 17:20

Cascavel Futsal preparado para encarar o Jaraguá

Cascavel Futsal preparado para encarar o Jaraguá

PUBLICIDADE