Bolsonaro manda suspender uso de radares nas rodovias federais

Estadão Conteúdo
Brasil | Publicado em 15/08/2019 às 08:50

O presidente Jair Bolsonaro determinou ao Ministério da Infraestrutura que faça a reavaliação da regulamentação dos procedimentos de fiscalização eletrônica de velocidade em vias públicas, especialmente com relação ao uso de equipamentos estáticos, móveis e portáteis. O despacho está publicado no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 15, e objetiva, segundo o texto, "evitar o desvirtuamento do caráter pedagógico e a utilização meramente arrecadatória dos instrumentos e equipamentos medidores de velocidade".

Em seguida, em outro despacho, o presidente determina que o Ministério da Justiça e Segurança Pública faça a revisão dos atos normativos internos que dispõem sobre a atividade de fiscalização eletrônica de velocidade em rodovias e estradas federais pela Polícia Rodoviária Federal e suspenda o uso de equipamentos medidores de velocidade estáticos, móveis e portáveis até que o Ministério da Infraestrutura conclua a reavaliação da regulamentação dos procedimentos de fiscalização eletrônica.

Bolsonaro já tinha manifestado sua intenção de acabar com os radares móveis no País que, segundo ele, funcionam como uma "pegadinha", "um caça-níquel". Na última segunda-feira, ele já tinha antecipado que iria suspender os radares móveis até que haja o entendimento melhor sobre o que deve ser utilizado.



Relacionados

Brasil | 21-08-2019 13:40

Marca de remédio à base de maconha é vetada por contrariar 'bons costumes'

Marca de remédio à base de maconha é vetada por contrariar 'bons costumes'

Brasil | 21-08-2019 13:40

Ministro Ricardo Salles é vaiado em evento sobre mudanças climáticas

Ministro Ricardo Salles é vaiado em evento sobre mudanças climáticas

Brasil | 21-08-2019 10:10

Bolsonaro levanta suspeita sobre ONGs por queimadas na Amazônia

Bolsonaro levanta suspeita sobre ONGs por queimadas na Amazônia

Brasil | 21-08-2019 08:35

Relator de projeto de armas inclui mais carreiras policiais

Relator de projeto de armas inclui mais carreiras policiais