Surto de sarampo é resultado de períodos com baixa adesão à vacina

Redação Tarobá News
Ciência e saúde | Publicado em 11/10/2019 às 07:50

Desde 2004 a indicação do Ministério da Saúde (MS) é que sejam aplicadas duas doses da vacina contra sarampo, uma aos 12 meses e outra aos 15 meses de vida. Porém, segundo dados dos últimos anos, o Paraná não atingiu a meta de vacinação estabelecida pelo MS para as duas doses. Em 2016, a dose 1 chegou a 91% de cobertura, em 2017, manteve o mesmo percentual, em 2018 este número baixou para 88% e em 2019, de janeiro ao dia 9 de outubro de 2019 ampliamos a cobertura e atingimos 92,7%. Embora 2018 e 2019 sejam dados preliminares, é possível verificar que o índice aumentou em 5%.

“Sabemos que há uma janela, um grupo de pessoas que não estão vacinadas ou por falta de informação e consciência sobre o tema, ou por resistência à vacina. Seja qual for o motivo, nós precisamos fazer a busca ativa dessa população para que seja imunizada, dessa forma as pessoas não adoecem e não transmitirão sarampo para outras”, esclarece o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

CAMPANHA – Teve início na segunda-feira (7) a primeira etapa da Campanha de Vacinação contra o sarampo. O grupo preconizado pelo MS neste momento é de crianças entre seis meses e cinco anos incompletos e se deve ao fato desse grupo sofrer mais sequelas da doença.

No sábado, dia 19 de outubro será realizado o dia D nesta fase que segue até o dia 25 de outubro, quando todas as Unidades Básicas de Saúde estarão abertas.

A segunda etapa tem como público alvo jovens com idade entre 20 e 29 anos. O período de intensificação para vacinação desta faixa de idade é entre 18 a 30 de novembro com o dia D ocorrendo no sábado, 30.

“Solicitamos ao Ministério mais 100 mil doses da vacina tríplice (que previne sarampo, caxumba e rubéola) para reforçar todo o Paraná, mas especialmente Curitiba, por ser o município com maior incidência do sarampo”, comenta o secretário Beto Preto.

BOLETIM – O Informe Epidemiológico semanal divulgado nesta quinta-feira (10), mostra o crescimento exponencial de casos confirmados, 103 pessoas moradoras do Paraná tiveram ou estão com sarampo. 80 casos são da Curitiba e outros 18 na região metropolitana. As cinco confirmações restantes estão em Jacarezinho (1), Ponta Grossa (1), Maringá (2) e Rolândia (1). (Os outros municípios estão detalhados no boletim nº 7).

“Os casos de sarampo aumentam e demonstram a necessidade de vacinar a população preconizada contra a doença. Solicitamos que as mães, pais ou outro responsável, leve a criança até uma das salas de vacinação distribuídas em nosso Estado. É uma doença altamente transmissível e que pode ser acompanhada de complicações graves. E como o vírus não circulou no Paraná por mais de 20 anos, muitas pessoas não tiveram contato com o sarampo e não se sentem o risco de contaminação ou transmitir para alguém. Por isso nós e o Ministério da Saúde nos mobilizamos para alertar e chamar a população para a vacinação”, comenta a coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesa, Acácia Nasr.

Para saber mais informações sobre a situação do sarampo no Paraná acesse o Boletim Epidemiológico clicando aqui.



Relacionados

Cascavel | 17-10-2019 07:59

Secretaria de Saúde emite nota sobre desabastecimento de contraceptivos

Secretaria de Saúde emite nota sobre desabastecimento de contraceptivos

Cafelândia | 16-10-2019 11:48

Cafelândia recebe ambulância e inaugura a base do SAMU

Cafelândia recebe ambulância e inaugura a base do SAMU

Ciência e saúde | 16-10-2019 09:52

Casos de dengue sobem 14,4% em uma semana no Paraná

Casos de dengue sobem 14,4% em uma semana no Paraná

Londrina | 15-10-2019 17:50

Após 1º caso de Sarampo, Londrina terá Dia D de vacinação

Após 1º caso de Sarampo, Londrina terá Dia D de vacinação

PUBLICIDADE