Autorizadas as obras de reparo e melhoria em trapiches na Ilha do Mel

Redação Tarobá News
Cotidiano | Publicado em 15/08/2019 às 17:25

A licitação das obras de reparos e melhorias dos trapiches existentes de Encantadas e Nova Brasília, na Ilha do Mel, foi autorizada pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, nesta quinta-feira (15), durante evento na sede administrativa da empresa Portos do Paraná.

O prazo para entrega, depois de publicada a licitação, será de sete meses. A contratação inclui o fornecimento de todo o material, mão de obra, equipamentos e ferramentas, além da destinação final dos materiais que não forem reaproveitados na obra.

Ratinho Junior afirmou que o Estado trabalha para ampliar a imagem do Paraná como destino turístico do Brasil, e que a região litorânea é fundamental nesse processo. “Teremos, na Ilha do Mel, trapiches muito mais modernos, com acessibilidade e conforto para receber os turistas”, afirmou. “A Ilha do Mel é o nosso cartão-postal e precisa ser bem cuidada. Vamos começar com o receptivo aos turistas e, automaticamente, avançar em outros projetos importantes para o Litoral”, disse o governador.

Os Portos do Paraná, ressaltou ele, são vetores importantes no desenvolvimento dos municípios do Litoral. “Eu quero o porto olhando cada vez mais para as cidades. Com isso, temos avançados bastante com bons projetos nas áreas sociais e ambientais”, disse.

COMPROMISSO — As reformas fazem parte do compromisso assumido como uma das condicionantes do Ibama para a emissão da Licença de Instalação da dragagem de aprofundamento executada em 2017. “A prioridade é que os Portos do Paraná sejam agentes transformadores da realidade do Litoral. Por isso, dentro do que a lei nos permite, queremos atender a população da melhor forma possível”, explicou o diretor-presidente da empresa pública, Luiz Fernando Garcia.

QUALIDADE – O Governo do Estado exigiu o uso de melhor material para durabilidade e resistência das estruturas. Além disso, exigiu luminárias de led com baterias recarregadas por painéis fotovoltaicos; rampas com corrimãos para acessibilidade; que os trapiches de concreto sejam conectados a píeres flutuantes interligados por uma rampa articulada, que se movimente de acordo com o mar; lixeiras para separação correta de resíduos; bancos de espera; proteção lateral para segurança; e cobertura.

Os trapiches da Ilha do Mel fazem parte de um conjunto de 14 estruturas, com projetos custeados pela Administração dos Portos do Paraná: nove serão reformadas e cinco serão construídos. Os projetos estão sendo realizados dentro do prazo de 270 dias, e devem ser entregues até dezembro deste ano.

ESTRUTURAS - Serão reformados os trapiches nas comunidades de Amparo, Europinha, Eufrasina, Ilha do Mel (Brasília e Encantadas), Ilha do Teixeira, Piaçaguera, Rocio e Vila Maciel. Novas estruturas serão construídas na Ilha dos Valadares (um no mar de fora e outro próximo à passarela), em Pontal do Sul (Vila dos Pescadores) e em Antonina (na Ponta da Pita e no Portinho).

“O porto fará os projetos e a executará das obras e, depois de concluídos, a gestão e manutenção dos equipamentos ficará a cargo dos municípios. A intenção é atender as comunidades da melhor forma possível, com ações que realmente tragam benefícios para o dia a dia”, explica o diretor de Meio Ambiente da Portos do Paraná, João Paulo Ribeiro Santana.

AEN



Relacionados

Cascavel | 21-08-2019 14:35

Convênio para medidas conciliatórias é assinado com Tribunal de Justiça do Paraná

Convênio para medidas conciliatórias é assinado com Tribunal de Justiça do Paraná

Foz do Iguaçu | 21-08-2019 12:56

Perimetral Leste: começa análise do projeto para que as obras saiam do papel

Perimetral Leste: começa análise do projeto para que as obras saiam do papel

Cascavel | 21-08-2019 12:47

Fios de alta tensão preocupam quem passa pela marginal da BR 277, que dá acesso ao Pioneiros Catarinenses

Fios de alta tensão preocupam quem passa pela marginal da BR 277, que dá acesso ao Pioneiros Catarinenses

Cascavel | 21-08-2019 12:46

Começa colheita de trigo no Oeste e produtores contabilizam prejuízos da geada

Começa colheita de trigo no Oeste e produtores contabilizam prejuízos da geada

PUBLICIDADE