Paraná recebe 22 embaixadores e reforça relações internacionais

Redação Tarobá News
Paraná | Publicado em 14/01/2020 às 09:24

AEN-PR

O Governo do Paraná recebeu em 2019 a visita de 23 embaixadores de 22 países e a União Europeia. Também foram recepcionados no Palácio do Iguaçu para reunião com o governador Carlos Massa Ratinho Junior e o vice-governador Darci Piana mais de 100 representantes de segmentos econômicos, autoridades, cônsules e diplomatas de blocos comerciais de 31 países.

Entre as nações representadas por embaixadores estiveram Espanha, Itália, Holanda, Alemanha, China e Rússia, que mantêm relações comerciais e culturais intensas com o Paraná.

O Estado exportou US$ 14,8 bilhões em produtos para o mundo entre janeiro e novembro de 2019, segundo o Ministério da Economia – US$ 3,73 bilhões apenas para o gigante asiático. O Governo do Estado também recebeu o cônsul dos Estados Unidos, que compraram US$ 862 milhões em produtos paranaenses no período.

Segundo o vice-governador Darci Piana, o Paraná se tornou atrativo em decorrência de iniciativas como a reforma administrativa implementada ao longo do ano, a mudança na Previdência, o enxugamento na máquina pública e a política de controle de gastos.

“O Paraná recebeu imigrantes de vários países ao longo de sua história. Somos acolhedores e hospitaleiros, abertos ao diálogo e a parcerias internacionais que ajudam a desenvolver o Estado. Essas relações abertas são importantes para a economia e para as áreas da educação, cultura, tecnologia, inovação e agronegócio”, afirmou.

Nesses encontros, o governador e o vice-governador apresentaram projetos que podem ser financiados em parceria com empresas internacionais, como as concessões do novo Anel de Integração e a ligação ferroviária com o Mato Grosso do Sul.

Essa modelagem pretende diminuir o custo logístico para as empresas paranaenses. A nova roupagem do programa de parcerias público-privadas também foi objeto dos diálogos.

PARANÁ DAY - Os encontros diplomáticos se somaram às edições do Paraná Day realizadas em Curitiba, Brasília, Estados Unidos e Espanha, e às missões internacionais para atrair investimentos na China e na República Tcheca.

“Precisamos e queremos atrair capital estrangeiro, e também temos muito a ofertar para diversos mercados, o que gera uma troca saudável. Temos possibilidade de crescer em infraestrutura, portos, aeroportos, rodovias, e precisamos de apoio para esses investimentos”, complementou o vice-governador.

POTENCIAL - Os embaixadores da República Tcheca, Alemanha, Israel, Holanda, Coreia do Sul e Finlândia visitaram o Estado duas vezes no ano passado. “O Paraná tem uma importância muito grande para a Alemanha, não somente pela comunidade aqui existentes, mas temos uma Câmara de Comércio, institutos culturais e um patamar muito alto de investimentos privados no Estado”, afirmou o embaixador alemão, Georg Witschel. “Temos interesse em investir no Brasil”.

O embaixador italiano no Brasil, Antonio Bernardini, disse que o Paraná tem situação fiscal e orçamentária privilegiada em relação a outros Estados, o que facilita a aproximação comercial. “Temos oportunidades de ter mais empresários italianos e vamos trabalhar para aumentar nossa presença no Paraná. O momento é de pensar no futuro e identificar oportunidades para fortalecer esses laços”, destacou.

EMERGENTES - O Paraná também foi procurado por países emergentes que buscam abrir mais o mercado internacional como Bangladesh e Vietnã. O primeiro se abriu para a economia nos últimos anos e busca parcerias comerciais sólidas para fortalecer seu crescimento. “É um país muito novo. Era extremamente pobre até a independência, mas em 2018 atingiu IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) para a ONU o classificar como país em desenvolvimento. A missão é abrir o comércio entre Bangladesh e os outros países, especificamente o Brasil”, acrescentou Marcelo Grendel Guimarães, cônsul honorário do país em Curitiba. “Bangladesh está localizado em uma área estratégia para distribuição por toda a Ásia”.

BRICS - O Paraná também sediou a reunião inaugural dos embaixadores do Brics (bloco econômico entre Brasil, Rússia, China, África do Sul e Índia) – o Brasil foi presidente pro tempore do bloco em 2019 –, e um encontro dos ministros da Cultura desses países.

Representantes do Estado ainda se reuniram com o presidente paraguaio, Mario Abdo Benítez, ministros do Paraguai e de Portugal, governadores do Paraguai e da Nigéria, o prefeito da cidade de Poznán, na Polônia, e a princesa da Dinamarca, Benedikte Astrid Ingeborg Ingrid.


AEN-PR



Relacionados

Curitiba | 28-01-2020 18:18

Governador apresenta potencial do Estado a investidores estrangeiros

Governador apresenta potencial do Estado a investidores estrangeiros

Londrina | 28-01-2020 16:43

Trabalhador sofre fratura ao cair de telhado na zona norte

Trabalhador sofre fratura ao cair de telhado na zona norte

Londrina | 28-01-2020 15:59

Mãe procura filho desaparecido desde o dia 3 de janeiro

Mãe procura filho desaparecido desde o dia 3 de janeiro

Londrina | 28-01-2020 15:46

Após justiça negar flexibilização do horário do comércio, Sincoval deve recorrer à Câmara

Após justiça negar flexibilização do horário do comércio, Sincoval deve recorrer à Câmara

PUBLICIDADE