Luciana: a história da mulher que mudou o hábito que trazia desde criança

Redação Tarobá News
15/11/2019 07:43

Luciana Mondadori é a prova viva de que mudar um hábito pode ser o primeiro passo para modificar-se por inteiro. “Sempre lutei contra a balança. Desde criança fui a gordinha da família e da escola. Minha mãe fez de tudo para que eu emagrecesse, mas eu não tinha determinação. Já na adolescência, fazia dietas loucas, usava remédios para emagrecer... Até emagrecia, mas logo engordava novamente.”

Ao ler o primeiro parágrafo desta história real, é muito provável que um incontável número de pessoas tenha se identificado com a batalha da Luciana contra a balança, que continuou na vida adulta. “Durante a gravidez, engordei 24kg. Foi muito difícil. Passei dos 83kg para os 107kg. Depois que meu filho nasceu, não baixei de 85kg. Emagrecia e engordava”, acrescenta a analista contábil da Unimed Cascavel, antecipando o quanto o famoso “efeito sanfona” também se refletia nos altos e baixos da própria saúde emocional. “Há três anos fui diagnosticada com depressão, crises de ansiedade e síndrome do pânico. Quando tinha essas crises de ansiedade, ia parar no pronto socorro. A primeira coisa que os médicos me perguntavam era se eu fazia alguma atividade física.”

A relação entre exercícios físicos e saúde mental tem sido estudada desde o século passado, quando a população mundial passou a sofrer diversas mudanças comportamentais. As pesquisas comprovam os benefícios:

• Reduz o aparecimento de sintomas da ansiedade e da depressão
• Aumenta a capacidade de lidar com os fatores de estresse
• Melhora a autoestima
• Melhora a capacidade de concentração
• Contribui para a maior qualidade do sono

Diante de tantas sugestões médicas indicando o exercício físico, Luciana deu o braço a torcer e passou a praticar atividades regulares, aliadas aos medicamentos para controlar as crises de depressão e ansiedade. “Esse foi o primeiro hábito que mudei. Com isso, já consegui manter meu peso. Mas eu precisava fazer algo em relação à quantidade de coisas que eu comia. Cheguei a fazer uma consulta com um especialista para ver a possibilidade de colocar o balão gástrico. A questão é que, além do valor ser elevado, o médico me explicou que somente o balão não resolveria o meu problema. Eu teria mesmo é que cuidar da minha alimentação.”

Depois de mudar o hábito 1 (sedentarismo), ela já se sentia preparada para transformar o hábito 2 (alimentação). “Procurei uma nutricionista e comecei uma reeducação alimentar. Afinal, acabei de completar 40 anos e tenho consciência de que, daqui para frente, a tendência é de ter mais tendência de ganhar peso.” Era naquele momento em que Luciana começa a se reeducar diante da comida. Já eram dois hábitos modificados para melhor, e um estimulava o outro. “Passei a comer melhor e parti para atividades físicas de alto gasto calórico, como treinos funcionais de cross fit, aulas de jump, dança, bike... tudo isso sem parar com a musculação. Eliminei 15kg em 6 meses. Passei de 87kg para 72kg, peso que tinha aos 15 anos de idade.”

Por que a Luciana e a Unimed Cascavel decidiram dividir essa história? “É porque eu acredito que, se eu consegui, todos conseguem. Basta ter determinação e disciplina”, finaliza  a determinada e disciplinada Luciana, que acorda diariamente às 5h30 para malhar, já que esse tornou-se um hábito na vida dela.

Mude1Hábito

 

A campanha lançada pela Unimed estimula o primeiro passo para a conquista de uma vida de qualidade. A mudança promove saúde...

A campanha também estimula as amizades reais...

 


... e elevam a consciência para um mundo inteiro que pode ser melhor.

 

Mude1Hábito. Esse é o plano.