Unimed contra o câncer: cuidar de si custa pouco, mas vale muito

Redação Tarobá News
13/10/2019 07:19

Os meses de outubro e novembro são lembrados por duas cores que, muito mais do que remeter a gêneros, alertam para CUIDADOS.


Outubro Rosa

O movimento internacional surgiu nos Estados Unidos para sensibilizar a população para os riscos do câncer de mama, que é o tipo mais comum de câncerem mulheres a partir dos 55 anos de idade. De acordo com o Ministério da Saúde, 60 mil novos casos terão sido diagnosticados de janeiro até dezembro de 2019. 


Novembro Azul

A campanha do foi criada na Austrália, em 2003, aproveitando as ações do Dia Mundial de Combate ao Câncer de próstata (14 de novembro). A partir daí, o movimento se espalhou para vários países do mundo. O câncer de próstata é a segunda maior causa de morte por câncer ente o público masculino. Quanto mais avançada é a idade, maior é a chance de desenvolver a doença. A cada dez casos confirmados, seis são de homens com mais de 65 anos de idade.  


Prevenção

Cuidar de si custa pouco, mas vale muito. Este é o sentido da campanha lançada pela Unimed, propondo que, em outubro e novembro, as pessoas reflitam sobre a importância de manter a saúde em dia todos os dias do ano. Ainda que muitas das causas do câncer sejam desconhecidas, especialistas sabem que há grande influência de fatores genéticos e de hábitos de vida. Em relação a esse último quesito, é possível prevenir. A prática de exercícios físicos, a alimentação saudável, o combate ao tabagismo e ao alcoolismo e a proteção ao excesso de radiação reduzem os riscos para qualquer pessoa.

Mas caso não seja possível evitar, existe outro fator que faz toda a diferença: o diagnóstico precoce. E todos os tipos de câncer, a possibilidade de cura aumenta quanto antes a doença for detectada. No caso do câncer de mama, a chance de cura chega a 95%, se o caso for descoberto nos estágios mais iniciais. 

 “Para aumentar a chance de cura, é preciso diagnosticar o câncer antes do aparecimento dos sintomas. É por isso que, entre o público feminino, a mamografia é indicada para mulheres acima dos 50 anos de idade. Já em relação ao câncer de colo de útero, os exames devem ser feitos por mulheres acima dos 25 anos ou que tenham vida sexual ativa”, explica o oncologista André Keijy Kajimura Petri, que explica também qual é o cuidado do qual os homens não podem abrir mão: “Para o público masculino, frequentemente acometido pelo câncer de próstata, a indicação é para a realização de exames preventivos a partir dos 50 anos de idade”. 


Apoio

O diagnóstico e o tratamento do câncer fazem parte de um momento difícil na vida do paciente. Mas há uma rede de apoio preparada para encarar esse desafio ao lado da pessoa. Trata-se de uma Rede de Cuidados Continuados que vem sendo cada vez mais reforçada na Unimed Cascavel para dar ao paciente (e familiares) o apoio físico, emocional e espiritual diante deste ou de qualquer diagnóstico de doença grave ou incurável. É o Jeito de Cuidar Unimed praticando a empatia, o respeito, a atenção e o cuidado humanizado.


Confiança que supera o medo

Aos 33 anos, mãe de três meninas e no auge da carreira, a ginecologista e obstetra Thais Gonzalez Rossi De Angelis foi diagnosticada com câncer de mama em fevereiro deste ano. “Eu estava tomando banho com minha filha quando ela me olhou e disse que havia algo diferente no meu seio. Fiz o autoexame e constatei que havia mesmo um nódulo. Agendei consulta com especialista e confirmei o diagnóstico. No primeiro momento, senti medo. Você perde o chão com uma notícia dessas, mas não temos tempo de pensar muito, pois é preciso começar os exames e o tratamento.”

O diagnóstico precoce foi importante para a paciente encarar o momento com mais confiança e leveza. “Confio muito no meu médico. Todas as vezes que vou ao consultório ele tira as minhas dúvidas e me tranquiliza. Confiança e tranquilidade são grandes aliadas no tratamento”, explica Thais.


Observe-se

Monitore o seu corpo. Perceba os sinais. Ao sinal de qualquer alteração, procure o seu médico de confiança. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), nódulos, febre contínua, feridas que não cicatrizam, indigestão constante e rouquidão crônica devem ser encarados como sinais de alarme. 


Cuidar de você. Esse é o plano.