Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Cascavel tenta contrariar o histórico em jogos de mata-mata

30/07/22 às 10:17 - Escrito por Redação Tarobá News

O histórico do Cascavel em duelos de mata-mata não é dos melhores. Isso desde que passou a ser um time de elite estadual, de 2015 para cá. No Campeonato Paranaense, ele vivenciou essa situação em oito oportunidades. Conseguiu triunfar em apenas três delas. Passou pelo Rio Branco de Paranaguá nas quartas de final do Estadual de 2020 e teve êxito em duas oportunidades no Estadual do ano passado. Se classificou diante do Maringá nas quartas e passou pelo Athletico-PR nas semifinais. Nas outras cinco situações, o time cascavelense teve insucesso. Caiu nas quartas de final do Paranaense em 2015 e 2017, ambas para o Coritiba. Em 2019, fez uma semifinal do primeiro turno contra o Coxa, duelo eliminatório em uma única partida, em casa, e perdeu nos pênaltis. Em 2020, teve uma eliminação para o Furacão nas semifinais com derrota fora e empate em casa. No ano passado, deixou escapar o título inédito para o Londrina nas penalidades, depois de dois empates. Nesse ano, nas quartas do Paranaense, foi atropelado pelo Maringá com duas derrotas nos dois jogos. No segundo, inclusive, perdeu de goleada.


Em competições nacionais, o Cascavel vivenciou sete confrontos eliminatórios. Teve classificação em dois e quedas em outros cinco. Na primeira participação na Copa do Brasil de 2021 conseguiu passar pelo Figueirense, vitória por 2 a 1, em casa. Mas caiu na segunda fase com a derrota por 2 a 0 para o Avaí. O mesmo ocorreu na Copa do Brasil desse ano. O Cascavel derrotou a Ponte Preta por 1 a 0, mas não passou da segunda fase. Derrota vexatória para o Tocantinópolis. Detalhe: nestes quatro jogos da Copa do Brasil, o Cascavel teve duelos eliminatórios em partida única.


Na Série D do Campeonato Brasileiro, a meta é chegar pela primeira vez às oitavas de final. Para isso, terá que eliminar o Paraná Clube neste sábado (30), no jogo de volta da segunda fase, às 16 horas, na Vila Capanema. Na Série D, o histórico em duelos de mata-mata do Cascavel é ainda mais comprometedor. Nas duas edições anteriores, o time caiu justamente nesta etapa da competição. Em 2020, havia vencido o Novorizontino por 1 a 0 em casa. Mas foi atropelado no jogo de volta por 3 a 0. No ano passado, a equipe de Tcheco tinha uma situação favorável nas mãos. Havia empatado sem gols com o Cianorte fora de casa. Mas teve o dissabor da eliminação com uma derrota por 3 a 0, dentro do Olímpico, no jogo de volta. 


Contra o Paraná Clube, o Cascavel teve uma ligeira desvantagem, já que empatou em 0 a 0 no jogo de ida, no Olímpico, no sábado passado. Isso significa que terá de vencer o adversário em Curitiba para seguir sonhando com o acesso à Série C. Se tiver êxito irá enfrentar o vencedor do confronto entre Pouso Alegre e Operário VG, que se enfrentam neste sábado. E aí restarão quatro jogos para o acesso. Se a partida terminar empatada, a decisão da vaga será nos pênaltis. E aí surge outro histórico que não é favorável. Nas duas disputas de penalidades que vivenciou, o Cascavel não teve sorte. Em 2019, perdeu a chance de decidir o título do primeiro turno ao ser derrotado pelo Coritiba nos pênaltis, após um empate sem gols no tempo normal. Mas a derrota mais amarga ocorreu no ano passado, mais precisamente no dia 13 de outubro. Depois de um empate em 1 a 1 com o Londrina, o Cascavel foi superado nas penalidades. Custou o título do Estadual. 


Seja como for, a meta neste sábado é vencer ou vencer. Do contrário, o Cascavel colocará um ponto final na temporada de 2022.

© Copyright 2022 Grupo Tarobá