Linha 4

Publicidade

Segue a queda de braço entre FPFS e clubes da LFP

Luciano Neves

Foto Paulo Rocha

O embate entre a Federação Paranaense de Futsal (FPFS) e os clubes que fazem parte da Liga Futsal Paraná (LFP) segue sem um desfecho. A entidade estadual puniu as equipes que atuaram pela competição que é organizada pela LPF com a suspensão do Campeonato Paranaense da Série Ouro. Os clubes devolveram na mesma moeda e entraram com um recurso no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Ou seja, a Série Ouro segue paralisada enquanto estes recursos não sejam julgados.

A FPFS sinalizou uma trégua e enviou um termo de acordo permitindo a reinserção das equipes na Série Ouro. A partir disso, a LFP se reuniu com as equipes franqueadas na manhã desta quinta-feira (19) para analisar o documento. Os clubes realizaram uma votação e não aceitaram o modelo do acordo. A Liga não aceitou o documento na íntegra. O item 5 do acordo sobre a atuação da arbitragem nos jogos da Liga Paraná, competição organizada pela nova entidade, é que não foi aceito. “Aos CLUBES CELEBRANTES fica a obrigação de disputarem as partidas na Copa Cresol 2020, à partir de agora, onde se tenha apenas e tão somente oficiais de arbitragem vinculados à FPFS/Assofutsal (quarteto e mais Representante/Comissário) e que estes tenham sido escalados pelo Departamento de arbitragem da FPFS”, consta no documento.

A LFP estruturou um quadro próprio de arbitragem e não abre mão destes profissionais nos jogos da Liga Paraná. “Não podemos deixar o nosso quadro de árbitros na mão. Até porque, antes mesmo de começar as competições, tivemos uma reunião entre os franqueados em que foi unânime a escolha por nosso quadro de árbitro apitar. A Liga criou seu próprio quadro de árbitros onde está dia a dia elaborando treinamentos e escolas para melhorar nossa arbitragem”, explicou Cris Bortolon, presidente da LFP.

COMENTÁRIOS

Publicidade