Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

'A sociedade entendeu que esse projeto irá acabar com a Lava Jato'

26/08/19 às 13:08 - Escrito por Paulo Martins

Ontem (25), foi um domingo de manifestações, em várias cidades do país, pela preservação da floresta amazônica. Já em Cascavel, o pessoal foi vestido de verde e amarelo ao calçadão da Avenida Brasil por outro motivo: dar apoio à Operação Lava Jato e contra a lei de abuso do autoridade que foi aprovada pela Câmara dos Deputados e agora está para a apreciação do presidente Jair Bolsonaro.


Comentário do Paulo Martins

Como se viu nas imagens, as manifestações em Cascavel, comparando-as com as de passado recente, foram discretas, mas em outros 19 estados e no Distrito Federal  - e principalmente em São Paulo e Rio de Janeiro – reuniram número suficiente para dar respaldo ao presidente da república em torno da reivindicação principal que vem a ser “veto total” a esse verdadeiro jaboti que querem introduzir nas áreas judiciais, Ministério Público e policial e que se conhece por “abuso de autoridade”.  

A sociedade entendeu que esse projeto irá acabar com a Lava Jato, além de inibir toda e qualquer ação desses seguimentos nessas áreas e, por extensão, beneficiar principalmente Luiz Inácio Lula da Silva, o cabeça do maior índice de corrupção que o país já enfrentou, elemento que, correm o risco juízes e promotores,  de até terem que distingui-lo – como outros de sua linhagem – com o rótulo de vossa excisa. 

Quando a ele se dirigirem, se isso aí passar a ser lei.. esse projeto e ato de aprovação são tão comprometedores que a votação foi simbólica e os parlamentares respiraram aliviados por não terem sido identificados quando dessa mesma aprovação. Não se deve afirmar que nesse área tudo esteja protocolarmente perfeito...há na verdade certas correções que precisam ser submetidas à propostas, idéias e correções, entretanto, com mais da metade desses congressistas de hoje, tendo que ajustar suas próprias contas com a justiça, além de até ministros de tribunais superiores estarem envolvidos nessas mesmas questões, como até o presidente do STF e alguns seus pares, tentar conceituar através de lei o que vem a ser “abuso de autoridade” – agora, hoje, nessas circunstâncias, convenhamos, a exigência popular de veto total está mais do que ajustada ao bom senso.


© Copyright 2022 Grupo Tarobá