TCGL pede tarifa de R$4,62

Fernando Brevilheri
Política | Publicado em 26/12/2018 às 17:37

A TCGL – Transportes Coletivos Grande Londrina pediu reajuste na tarifa para R4,62. Atualmente o valor está em R$3,95. Isto para o transporte convencional sem contar o serviço PSIU que tem tarifa diferenciada.

Este pedido já havia sido feito desde que a TCGL anunciou que não participaria da licitação por conta de não concordar com o edital. Para a empresa, os valores apontados no edital não cobrem os custos operacionais do sistema e afetam o equilíbrio econômico financeiro da operadora.

Agora a CMTU vai decidir porque o acordo coletivo entre METROLON, TCGL e LONDRISUL já foi assinado em caráter precário. Pelo termo, os trabalhadores terão direito a reposição de 4% a título de abono.

Os salários dos motoristas e cobradores é o item que mais pesa na tarifa. A folha de pagamento responde por quase metade do valor.

A planilha de custos do sistema leva em consideração dezenas de insumos como pneus, combustível, encargos etc. O estudo é feito pelos técnicos da companhia que indicam a tarifa. Porém a palavra final é do prefeito.

O blog apurou que no último reajuste os estudos apontavam para uma tarifa de R$4,13, mas Marcelo Belinati não queria passagem acima dos R$4.

Historicamente, o poder público não atende “na integra” o pedido das operadoras. Normalmente a tarifa fica abaixo do solicitado.

Licitação

O transporte coletivo passou a ser motivo de dor de cabeça para a administração municipal. A TCGL anunciou que nem iria participar da concorrência, no entanto, entrou com pedido de contestação no TCE-PR Tribunal de Contas do Paraná e conseguiu suspender o certame. Os envelopes seriam abertos nesta quarta- feira (26). A Procuradoria jurídica do município e CMTU tentaram, sem sucesso, derrubar a decisão do conselheiro Ivan Bonilha em Londrina e no Tribunal de Justiça.  

Caso a prefeitura não consiga fechar a licitação terá que fazer contrato emergencial para o serviço. Isto porque a TCGL disse que só fica após o vencimento do contrato, caso a tarifa seja de R$4,62.

Por se tratar de serviço essencial a população, o poder público dispõe de algumas brechas para não deixar a população a pé.

A empresa Londrisul que opera a menor parte do sistema com linhas na zona rural e distritos também não demonstrou interesse na licitação.

O contrato da TCGL com o município termina no dia 19 de janeiro de 2019.



Relacionados

Política | 15-02-2019 17:19

Rony e Takahashi podem enfrentar mais um julgamento na Câmara

Rony e Takahashi podem enfrentar mais um julgamento na Câmara

Política | 12-02-2019 18:37

Dengue: Como estamos perdendo a guerra para o mosquito

Dengue: Como estamos perdendo a guerra para o mosquito

Política | 08-01-2019 18:10

Governador vai debater fusão do IAPAR com lideranças e pesquisadores

Governador vai debater fusão do IAPAR com lideranças e pesquisadores

Política | 02-01-2019 16:18

Transporte Coletivo perdeu mais de 3 milhões de usuários em 2018

Transporte Coletivo perdeu mais de 3 milhões de usuários em 2018

PUBLICIDADE