Youtuber Felipe Neto distribui livros LGBT na Bienal; recado para a censura

Estadão Conteúdo
Famosos | Publicado em 08/09/2019 às 16:15

O youtuber Felipe Neto falou sobre o resultado da ação em que distribuiu gratuitamente cerca de 14 mil livros com temática LGBT durante a Bienal do Livro no Rio de Janeiro no último sábado, 7.

"O dia em que mandamos um recado claro para a censura e os opressores: vocês nunca irão calar o amor! O bem sempre vence e sempre vencerá. Foram 14 mil livros de temática LGBTQ+ distribuídos gratuitamente", escreveu Felipe em seu perfil no Instagram.

Na sequência, prosseguiu: "Foi lindo, foi amor, foi luta por um mundo melhor! No final, chegaram os carros dos agentes da censura de Crivella e 20 homens armados prontos para recolher todos os livros. Só tinha um problema: todos já tinham sido entregues de graça".

"Hoje, o amor venceu! Hoje, o Brasil venceu! Feliz 7 de setembro. Comemore hoje, a luta continua amanhã", encerrou o youtuber.

Os 14 mil livros, comprados na própria Bienal, foram envolvidos em plástico preto acompanhados de um adesivo: "Este livro é impróprio para pessoas atrasadas, retrógradas e preconceituosas".

Livros como Confissões de Um Garoto Tímido, Nerd e (Ligeiramente) Apaixonado, de Thalita Rebouças, Arrase!, de RuPaul, e O Mau Exemplo de Cameron Post, de Emily M. Danforth estiveram entre os exemplares entregues ao público na praça central da Bienal.



Relacionados

Famosos | 29-06-2020 11:50

Malvino Salvador e Kyra Gracie fazem chá revelação por chamada de vídeo

Malvino Salvador e Kyra Gracie fazem chá revelação por chamada de vídeo

Famosos | 29-06-2020 10:53

Zé Neto testa positivo para covid-19 e pede a fãs que tenham cuidado

Zé Neto testa positivo para covid-19 e pede a fãs que tenham cuidado

Famosos | 26-06-2020 08:45

Anitta é internada com trombose em hospital no Rio de Janeiro

Anitta é internada com trombose em hospital no Rio de Janeiro

Famosos | 22-06-2020 13:50

Justin Bieber usa redes sociais para se defender de acusação de estupro

Justin Bieber usa redes sociais para se defender de acusação de estupro