Linha 4

Publicidade

Festival de Música de Londrina termina edição virtual com 446 horas de concertos

Redação Tarobá News

O Festival Internacional de Música Londrina (FIML), realizado entre os dias 6 e 12 de dezembro, finalizou a maratona pedagógica e artística alcançando 291.645 pessoas através da “rede”, entre outubro e dezembro. A conquista marca os 40 anos do evento em sua primeira edição totalmente virtual.

A 40ª edição despertou e provocou reflexões sobre o momento em que o Brasil e o mundo atravessam. Segundo os organizadores, o FIML se reinventou, revisou conceitos e técnicas de difusão e principalmente, primou pela organização, ponto fundamental no sucesso do evento que teve como foco o eixo pedagógico.

Nesta edição, o FIML contou com 35 cursos, oficinas, lives e masterclasses, com 42 professores e professores convidados, ministrando aulas virtuais para cerca de 700 alunos inscritos de 22 estados brasileiros e de dois países (EUA e Peru). Os dados do festival mostram a participação de pessoas de todas as idades. No Youtube o maior público foi a partir de 65 anos (42,2%), e o segundo maior entre 55 e 64 anos (31,8%). Já no Instagram, o festival ganhou 500 seguidores de todas as regiões do Brasil, sendo que a maioria tinha entre 25 e 34 anos e a segunda faixa etária, entre 35 e 44. O evento tem mais de três mil seguidores.

Retaguarda – Colocar “no ar” virtualmente um evento da magnitude do Festival de Música de Londrina exigiu estrutura de retaguarda. O site – base de dados e das inscrições  – recebeu 35.772 visualizações entre outubro e 12 de dezembro. Além do Brasil, os acessos vinham dos Estados Unidos, Alemanha, França, Portugal, Suíça, Argentina, Colômbia, Venezuela e Canadá.

Entre novembro e 12 de dezembro, as equipes nos bastidores produziram logo, vídeos (21), vinhetas (8), telas (55), posts (20), templates (50), textos e fotos, que circularam e veicularam no Instagram (alcance: 55.785 pessoas), no Facebook (alcance: 180.638 pessoas), no canal de Youtube (19,5 mil impressões durante a semana do festival), no WhatsApp, no próprio site, na mídia em geral.

A Programação Artística, elaborada pelo diretor artístico do Festival, pianista Marco Antônio de Almeida, com base em concertos já apresentados no Festival nos últimos anos, pontuou as noites do evento no canal do Youtube com comentários do diretor. E resultou em 446 horas de concertos assistidos durante e após o evento, com alcance internacional (Alemanha, Coreia e Venezuela). Foram três dias de gravações e mais de 24 horas de edição, em vídeos e montagem da programação.

“Foi muito prazeroso resgatar grandes momentos dos festivais passados. Isso mostrou que nas edições anteriores, o nível artístico sempre foi muito elevado. Faltaram noites para completar as diversidades artísticas dos 40 anos. Só lamentamos, devido à pandemia, não termos tido a possibilidade da instalação de um telão no calçadão de Londrina, como planejamos, veiculando a programação do Festival e levando boa música a população”, diz Marco Almeida.

Para a diretora pedagógica do FIML, Magali Kleber, a estrutura do formato on-line teve que ser muito bem pensada. “Conseguimos inovar, implementar um evento de grande calibre de organização, conteúdo, qualificação do corpo docente e da equipe, que trabalhou com autonomia em um conceito bem atual, em rede. Muitos professores comentaram que se sentiram compelidos a pesquisar mais e inovar nas possibilidades de ensino, após passarem pela experiência do festival”, citou.

No eixo pedagógico, cerca de 17 monitores, entre equipe técnica e de apoio didático acompanharam 326 horas aulas em salas virtuais, sem contar treinamentos. “A proposta pedagógica do 40º FIML foi pensada para um currículo integrado com estrutura de conhecimento entrelaçado, somado à inovação do digital. O formato on-line pressupõe outro jeito de organizar e transmitir o conhecimento, com o desafio de como ativar a participação de cada um. Nessa concepção, fomos muito felizes e obtivemos muito sucesso, com muitos retornos positivos. Quem veio para o festival, veio para participar. Houve pontualidade, comprometimento de professores e alunos, com baixíssima evasão”, reforçou Magali Kleber.

“Acho que o mais importante foi a gente ter tido coragem e não ter desistido de fazer. Não sabíamos como seria o começo e fomos construindo tudo juntos. Cada um com sua experiência, em sua área de conhecimento e com empenho. Honramos os 40 anos do Festival Internacional de Música e quem usufruiu foram os professores, os convidados, os participantes e o público”, complementou a diretora pedagógica do FIML.

A 40ª edição do Festival Internacional de Música de Londrina foi uma realização da Secretaria de Estado da Cultura – Governo do Estado do Paraná; Secretaria Municipal de Cultura – Prefeitura de Londrina, com patrocínio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic); Casa de Cultura – Universidade Estadual de Londrina (UEL) e Associação de Amigos do FIML. Contou ainda com apoio cultural da Associação Médica de Londrina.

Números da 40ª edição do FIML

  • Alcance total de 291.645 pessoas através da “rede”;
  • Facebook /alcance: 180.638 pessoas;
  • Instagram/alcance: 55.785 pessoas;
  • Site: 35.772 visualizações entre out. e 12 de dez;
  • Youtube: 19,5 mil impressões de 6 a 12 de dezembro;
  • 35 cursos, oficinas, lives e masterclasses;
  • 42 professores e professores convidados;
  • 700 alunos inscritos;
  • 22 estados brasileiros com alunos inscritos;
  • 02 países com inscrições (Peru e EUA);
  • 326 horas aulas em salas virtuais;
  • 07 apresentações artísticas;
  • 446 horas de concertos assistidas durante e pós evento.

COMENTÁRIOS

Publicidade

Publicidade