Linha 4

Publicidade

Dia do Ciclista: ‘Ser ciclista é ter responsabilidade, dedicação e paixão’

Redação Tarobá News

Aos 15 anos de idade, João Pedro Nogata visualiza sua caminhada esportiva em uma ascensão rumo ao topo. O jovem, morador de Cascavel, começou a participar do mundo do ciclismo aos 09 anos de idade e três anos depois já iniciava sua participação em competições. Hoje, JP Nogata, como é conhecido, acumula vitórias e muitos sonhos a serem alcançados.

O adolescente integra o Team Centro FAG, equipe de ciclismo cascavelense formada pelos mais promissores atletas locais. O foco atual está voltado principalmente para competições de XCO, modalidade com alto nível de dificuldade por envolver circuitos de terra com presença de obstáculos e saltos. JP Nogata, assim como todos os ciclistas, viu o ano de 2020 virar de cabeça para baixo com a pandemia do novo Coronavírus (COVID-19) e o olhar agora é para o que virá depois desse período difícil.

As principais competições deste ano sofreram com as restrições impostas pela pandemia. Durante cerca de 3 meses, por exemplo, JP precisou restringir seus treinos apenas ao ambiente do seu apartamento. A sacada virou o único espaço possível de preparação. Apesar da dedicação e foco do atleta, a impossibilidade de pedalar fora de casa impactou no preparo. Essa situação fez que com o recomeço dos treinos outdoor o fôlego a ser imprimido fosse ainda maior para recuperar o tempo perdido.

“Fiquei feliz em voltar a treinar normalmente, cauteloso com o vírus, utilizando a máscara e evitando aglomerações. A minha rotina tem sido bem intensa em relação aos treinos, muito focado e determinado à melhora do meu rendimento. As principais dificuldades que eu encontro são os treinamentos em grupo onde se forma aglomeração e o risco de contágio aumenta”, explica o ciclista JP Nogata, destacando que tem respeitado todas as orientações das autoridades sanitárias.

O atleta acredita que as provas mais importantes do ciclismo não irão acontecer nesse ano, entre elas o Campeonato Brasileiro de MTB, que ocorreria no dia 30/10 em Mariporã (SP). “Mas há provas locais marcadas, uma delas para o dia 27/09 em Cascavel mesmo. Eu irei participar até para matar a saudade da competição. A prova se chama ‘100k Cascavel e estamos com uma expectativa bem alta’”, explica JP.  

Se engana quem acredita que todo essas dificuldades geradas pelo novo Coronavírus abalaram de alguma forma os objetivos que movem os ciclistas. A pandemia afetou sim, muito mais no sentido de retardar, mas jamais de diminuir qualquer meta. “2020 foi um ano de aprendizado, em que as pessoas aprenderam que ninguém é melhor que o outro, que nós podemos viver bem com pouco e pensar mais no próximo”, comenta JP Nogata.

E nesse sentido se destaca o amor que envolve a prática do ciclismo, capaz de superar qualquer dificuldade e de proporcionar adaptação aos novos contextos. “Ser ciclista é ter responsabilidade, dedicação e paixão. Três palavras que resumem o meu esporte favorito e que quero poder levar pro resto da minha vida do meu lado”, afirma JP. “O ciclismo é tão importante pra mim, porque é onde conheço pessoas, onde vejo quem elas realmente são e aprendo a viver diante de qualquer circunstância... Ah, porque eu amo é claro”, finaliza o atleta.

COMENTÁRIOS

Publicidade