Chapecoense vence, ultrapassa o Fluminense e respira no Brasileirão

Estadão Conteúdo
Futebol | Publicado em 22/10/2017 às 21:30

A Chapecoense enfim pode respirar um pouco no Campeonato Brasileiro. Neste domingo, o time catarinense chegou à segunda vitória seguida ao bater o Fluminense por 2 a 1, na Arena Condá, em jogo válido pela 30.ª rodada, e se distanciou da zona de rebaixamento.

Com o resultado, a Chapecoense chegou aos 38 pontos e ficou na 11.ª colocação, a cinco do Vitória, primeiro time dentro da zona de descenso, com 33. Além disso, deixou para trás o próprio Fluminense, que tem os mesmo 38 pontos, mas caiu para a 13.ª colocação porque tem nove vitórias contra dez do Bahia, que está na 12.ª posição, e 11 da Chapecoense.

O técnico Gilson Kleina, que deveria estrear pelo time de Chapecó, assistiu o jogo das arquibancadas. A diretoria optou por preservá-lo porque ele tinha uma punição da época em que era técnico da Ponte Preta. Após consultar a CBF, clube não teve uma resposta clara e preferiu não arriscar. O interino Emerson Cris ficou no banco, como já tinha feito na vitória sobre o Atlético-MG, por 3 a 2, em Belo Horizonte, no meio da semana.

Empurrada pela torcida, a Chapecoense começou o jogo em ritmo acelerado e não demorou nada para abrir o placar. Com apenas três minutos de bola rolando, Reinaldo fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Arhtur Caíke, que contou com vacilo da defesa adversária e cabeceou para o fundo das redes.

Na frente do placar, o time da casa relaxou e deu espaço para o time carioca, que perdeu boas chances com Marlon Freitas e Pedro. Nos minutos finais, os donos da casa voltaram a mostrar perigo e Arthur Caíke desperdiçou uma boa chance de marcar o segundo gol, aos 45 minutos, quando apareceu sozinho na área e cabeceou para fora.

No segundo tempo, a Chapecoense foi ainda mais rápida para balançar as redes. O time precisou de apenas um minuto para marcar o segundo gol. Diego Cavallieri evitou o gol olímpico em cobrança de escanteio de Reinaldo. Na sequência, Reinaldo deu de calcanhar no rebote e o goleiro tricolor até defendeu de novo, mas a bola já estava dentro do gol.

Abalado, o Fluminense não teve forçar para reagir e apesar de alguns bons momentos, em nenhum momento deu a entender que poderia buscar o empate. Até o técnico Abel Braga sentiu o golpe, tirando de campo para poupar dois de seus melhores jogadores: Gustavo Scarpa e Marcos Júnior.

A Chapecoense volta campo às 21 horas do próximo sábado para enfrentar o Atlético-PR, na Arena da Baixada, em Curitiba. O Fluminense joga no domingo, quando recebe o Bahia, às 17 horas, no Maracanã.

FICHA TÉCNICA

CHAPECOENSE 2 X 0 FLUMINENSE

CHAPECOENSE - Jandrei; Apodi, Douglas, Fabrício Bruno e Reinaldo; Moisés Ribeiro, Amaral (Elicarlos), Canteros e Luiz Antônio; Arthur Caíke (Lucas Mineiro) e Wellington Paulista (Júlio César). Técnico: Emerson Cris (interino).

FLUMINENSE - Diego Cavalieri; Lucas, Reginaldo, Gum e Marlon; Richard (Robinho), Marlon Freitas, Wendel e Gustavo Scarpa (Luquinhas); Marcos Junior (Romarinho) e Pedro. Técnico: Abel Braga.

GOLS Artur Caíke, aos três minutos do primeiro tempo. Wellington Paulista, a um minuto do segundo tempo.

ÁRBITRO - Claudio Francisco Lima e Silva (SE).

CARTÕES AMARELOS Douglas (Chapecoense); Gum (Fluminense).

RENDA - R$ 206.290,00.

PÚBLICO 10.010 torcedores.

LOCAL - Arena Condá, em Chapecó (SC).



Relacionados

Futebol | 07-10-2018 12:40

Higuaín marca dois gols e Milan bate Chievo no Italiano; Lazio também vence

Higuaín marca dois gols e Milan bate Chievo no Italiano; Lazio também vence

Futebol | 07-10-2018 12:25

Chelsea bate o Southampton, volta a vencer no Inglês e embola briga pela ponta

Chelsea bate o Southampton, volta a vencer no Inglês e embola briga pela ponta

Futebol | 07-10-2018 06:40

Futebol brasileiro começa a sentir os efeitos da 'fake news' na internet

Futebol brasileiro começa a sentir os efeitos da 'fake news' na internet

Futebol | 06-10-2018 23:14

Grêmio sai atrás, mas arranca empate do Bahia na Arena com pênalti polêmico

Grêmio sai atrás, mas arranca empate do Bahia na Arena com pênalti polêmico