Futebol

Futebol

Diego Souza garante permanência no Sport, mas ataca direção: 'Não me respeitaram'


Diego Souza garante permanência no Sport, mas ataca direção
Foto: Torcedores UOL

Um dia depois do Palmeiras anunciar a contratação do atacante Deyverson, ex-Alavés (Espanha), o meia Diego Souza voltou a treinar no Sport, no Recife, nesta quarta-feira e fez um pronunciamento para explicar tudo o que o envolveu nas últimas semanas.

Se o meia assegurou que permanecerá no Sport, ele também criticou a diretoria do clube pernambucano, especialmente por não tê-lo apoiado nos últimos dias. "Nem tudo é o que parece. Nunca precisei mentir aqui no Sport com relação a nada. Sempre fui profissional, raramente estive machucado", disse. "Passei por coisas difíceis nos últimos dias. É triste de verdade. Nunca estive tão triste desde que cheguei ao Sport".

Antes da partida contra o Coritiba, na última segunda-feira, quando completaria a sétima partida e ficaria impedido de se transferir a outro clube do Campeonato Brasileiro, o meia avisou que tinha problemas pessoais e pediu para não ser relacionado. Parte da direção, contudo, encarou a ausência como uma tentativa de forçar a transferência.

"Não me senti protegido dentro do clube, pela direção do clube, em função do meu problema. Mandei uma mensagem e o presidente me respondeu. Mas, a partir do momento em que estou resolvendo um problema particular, um problema na minha vida...", desabafou o meia, assegurando que tudo foi uma infeliz coincidência.

"Calhou de ser na minha sétima partida? Calhou. Coincidência? Beleza. Mas é só olhar meu histórico", acrescentou Diego Souza, revelando grande irritação com a diretoria. "A partir do momento que falei da minha situação, continuaram falando de negociação, de renovação de contrato, de aumento de salário, de que eu ia ganhar o dobro no Palmeiras. Não me respeitaram no momento que eu precisei. Isso me fez ficar muito chateado".

Diego Souza também salientou que jamais pediu para ser negociado ao Palmeiras, mesmo que houvesse uma cláusula que facilitasse a negociação, segundo ele garantiu. "Desde que voltei ao Sport, meu contrato tem uma cláusula de saída. Juridicamente, ela pode até não valer nada. Mas o espírito dela, quando foi feita, é de uma cláusula de saída. E o valor é de um milhão e 600 mil euros, sim. E o Diego em nenhum momento forçou a saída por esse valor".

Muito emocionado ao final do pronunciamento, o jogador explicou que optou por ganhar menos ao sair do Fluminense e retornar ao Sport. "Estão me tratando como se fosse mercenário, estão dizendo que estou forçando a barra, que quero aumento de salário. Não. O meu problema não é dinheiro", enalteceu aos prantos. "Quando vim para cá, saindo do Fluminense, deixei quase R$ 100 mil por mês".

Por fim, Diego Souza agradeceu o apoio dos jogadores do Sport e avisou que está pronto para encarar a Chapecoense, nesta quinta-feira, pelo Brasileirão. "Vou continuar aqui, vou continuar da mesma maneira", avisou. "Espero que isto não tire o foco. Temos um jogo de extrema importância e espero que isto fique longe da influência dentro de campo. Eu bato no peito e tiro isso de letra".


Selecione sua cidade

Cascavel | Londrina