Brasil vence a Mongólia e conquista o bronze por equipes do Mundial de Judô

Estadão Conteúdo
Luta | Publicado em 01/09/2019 às 10:30

O Brasil fechou a sua participação no Mundial de Judô, que foi realizado em Tóquio, de maneira positiva. Neste domingo, último dia da competição, a seleção brasileira venceu a Mongólia e faturou o bronze na disputa por equipes mistas, que está no programa dos Jogos Olímpicos de 2020.

Em sua trajetória até mais um pódio, o Brasil derrotou a Alemanha de virada por 4 a 3 na primeira disputa, superou o Azerbaijão por 4 a 1 nas sequência, mas foi derrotado pelo Japão nas semifinais por 4 a 0. Na disputa pelo bronze, fez 4 a 2 na Mongólia e garantiu a medalha, fechando o Mundial com três pódios.

As outras duas medalhas conquistadas na competição também foram de bronze. Uma com a campeã olímpica Rafaela Silva (57kg) e a outra com a bicampeã mundial Mayra Aguiar (78kg).

Além do Brasil, a Rússia também saiu com um bronze por equipes mistas ao derrotar o Azerbaijão na briga pelo terceiro lugar. O anfitrião Japão foi o grande campeão, e a França, derrotada pelos japoneses por 4 a 2 em uma final em alto nível, ficou a prata.

Ao contrário do que acontece na chave individual, na disputa por equipes mistas os atletas entram todos juntos na área de competição. São realizados seis confrontos - nas categorias 73kg, 90kg e +90kg entre os homens e 57kg, 70kg, +70kg entre as mulheres. Em caso de empate, há um sorteio que define um atleta de cada país se enfrentando já na prorrogação.

AS LUTAS - E o Brasil teve de se superar logo no começo da competição no tatame da Nippon Budokan, uma vez que, representado por Maria Portela, Rafael Macedo e Maria Suelen Altheman, perdeu suas três primeiras lutas contra a Alemanha. A remontada veio com vitórias de Rafael Silva, Rafaela Silva e Eduardo Barbosa, este que só lutou o torneio por equipes. O sorteio ajudou o time verde amarelo, que avançou à próxima fase pois a categoria escolhida foi a 73kg masculina, cujo atleta alemão a lutar seria Anthony Zingg. No entanto, ele havia sido desclassificado por um ataque irregular no embate contra Eduardo e não pôde lutar.

Nas quartas, menos drama e mais consistência para derrotar o Azerbaijão. O 81kg Eduardo Yudy foi escolhido para a luta do peso 90kg no lugar de Rafael Macedo e venceu Mammadali Mehdiyev por ippon para abrir a contagem brasileira, que foi ampliada com o triunfo de Maria Suelen sobre Iryna Kindzerska. Ushangi Kokauri descontou para os rivais no peso pesado vencendo Rafael Silva nas punições, mas Rafaela Silva, com ippon em Gultaj Mammadaliyeva, e Eduardo Barbosa, com outro ippon sobre Nijat Shikhalizada, definiram a vitória.

Na sequência, os brasileiros foram atropelados pelos japoneses, que apostou em três atletas campeões mundiais - Tsukasa Yoshida, Soichi Hashimoto e Shori Hamada - e conseguiu vencer todas as suas lutas. Na briga pelo bronze, Rafael Silva, Maria Portela, Rafaela Silva e Maria Suelen Altheman triunfaram e ajudaram o Brasil a fazer 4 a 2 na Mongólia e faturar o bronze, segunda medalha do País na disputa por equipes mistas em mundiais - havia ganhado a prata em Budapeste, em 2017.



Relacionados

Três Barras do Paraná | 24-10-2019 17:10

Atletas de Três Barras do Paraná são campeões mundiais de Karatê

Atletas de Três Barras do Paraná são campeões mundiais de Karatê

Luta | 24-10-2019 15:35

Judô brasileiro fica fora do pódio no primeiro dia do Grand Slam de Abu Dabi

Judô brasileiro fica fora do pódio no primeiro dia do Grand Slam de Abu Dabi

Luta | 19-10-2019 10:50

Por nocaute, Chris Weidman estreia com derrota em nova categoria do UFC em Boston

Por nocaute, Chris Weidman estreia com derrota em nova categoria do UFC em Boston

Luta | 13-10-2019 13:35

Beatriz Ferreira supera chinesa e é medalha de ouro no Mundial de Boxe na Rússia

Beatriz Ferreira supera chinesa e é medalha de ouro no Mundial de Boxe na Rússia