Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

EUA querem comprar óleo de cozinha usado por brasileiros

21/06/24 às 16:26 - Escrito por BAND
siga o Tarobá News no Google News!

Os americanos anunciaram nesta quinta-feira (20) que vão importar óleo de cozinha usado do Brasil. O governo norte-americano aceitou o certificado sanitário internacional vegetal para que a transação comercial possa ocorrer. Entenda para o que serve o óleo de cozinha usado.


O óleo de cozinha usado, resíduo de óleos e gorduras vegetais usados em cozinhas e frituras na indústria alimentícia, é aproveitado como matéria-prima para biocombustíveis, incluindo biodiesel e combustível de aviação sustentável.


Para atender às exigências dos EUA, o Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal (DIPOV) do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) emitirá uma certificação de rastreabilidade, identidade e origem do produto, baseada em auditorias dos procedimentos de autocontrole dos estabelecimentos armazenadores e exportadores.

Leia mais:

Imagem de destaque
VEJA VÍDEO

Jovem faz chamada de presença com vacas e "elas respondem"

Imagem de destaque
VEJA QUAIS

Alimentos mais saudáveis da cesta básica terão maior redução de impostos

Imagem de destaque
SEGUNDO O MAPA

Cuba autoriza compras de produtos agropecuários do Brasil

Imagem de destaque
PARCIAL DE JULHO

Carne de frango amplia competitividade com preços em queda


A exportação do produto brasileiro para os Estados Unidos representa significativa oportunidade de mercado, impulsionada pela crescente demanda norte-americana por biocombustíveis. Em 2023, os EUA importaram aproximadamente 1,4 milhão de toneladas métricas de óleo de cozinha usado, quantidade suficiente para produzir 2,27 bilhões de litros de biocombustíveis. O volume representou importação total de cerca de US$ 1,66 bilhão. Os principais fornecedores de UCO para os EUA foram China, Canadá, Austrália, Nova Zelândia e Chile.


Esta é a segunda abertura dos EUA para produtos agrícolas brasileiros este ano, após autorização concedida em janeiro para a exportação de gelatina e colágeno de origem animal. 

Notícias relacionadas

© Copyright 2023 Grupo Tarobá