Autor de disparos em igreja de MG tem alta e é levado para presídio

Estadão Conteúdo
Brasil | Publicado em 25/05/2019 às 21:40

Rudson Aragão Guimarães, de 39 anos, que matou a ex-namorada e depois assassinou outras três pessoas no interior de uma igreja na cidade de Paracatu, no noroeste de Minas, recebeu alta hospitalar neste sábado, 25, de acordo com informações divulgadas pela Polícia Civil. O homem foi levado para o presídio da cidade.

Na terça-feira, 21, Guimarães matou a ex-namorada Heloísa Vieira Andrade, de 59 anos, e outras três pessoas: Antônio Rama, de 67 anos, Marilene Martins de Melo Neves, de 52, e Rosângela Albernaz, de 50.

O autor dos crimes matou a ex-namorada com um golpe de canivete no pescoço. A mulher estava na casa de parentes de Guimarães e orava ao lado da mãe e da irmã do criminoso. As outras três vítimas foram mortas a tiros na Igreja Batista Shalom, a três quarteirões do local onde o homem matou a ex-namorada.

Guimarães estava internado desde a terça-feira, depois de levar um tiro na clavícula disparado por um policial militar que o confrontou dentro da igreja. As investigações iniciais apontaram que um desentendimento entre o pastor da igreja e Guimarães pode ter sido o motivo que levou o autor dos crimes a assassinar as quatro pessoas.

Uma das vítimas, Antônio Rama, é pai do pastor da igreja. Guimarães, que tem histórico de dependência química, teria sido afastado da comunidade religiosa e não aceitou a decisão. Depois do ataque, a Polícia Militar apreendeu o revólver usado pelo atirador na igreja e seis munições não deflagradas.



Relacionados

Brasil | 22-09-2019 11:32

Deputada Federal Flordelis participa de reconstituição de morte do marido no Rio

Deputada Federal Flordelis participa de reconstituição de morte do marido no Rio

Brasil | 22-09-2019 11:00

Após atraso na liberação do corpo, Agatha Vitória será enterrada neste domingo

Após atraso na liberação do corpo, Agatha Vitória será enterrada neste domingo

Brasil | 22-09-2019 06:45

'IPCC da Amazônia' vai mapear riscos da floresta

'IPCC da Amazônia' vai mapear riscos da floresta

Brasil | 21-09-2019 17:35

STJ autoriza acréscimo de sobrenome do cônjuge após casamento

STJ autoriza acréscimo de sobrenome do cônjuge após casamento

PUBLICIDADE