Bolsonaro faz apelo para que Congresso não derrube decreto das armas

Estadão Conteúdo
Brasil | Publicado em 13/06/2019 às 19:25

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro fez nesta quinta-feira, 13, em Belém, um apelo para que o Congresso não derrube o decreto das armas. "Hoje, o cidadão de bem dificilmente consegue comprar uma arma. Só os maus estão armados", disse Bolsonaro, em Belém, em fala de improviso na cerimônia de entrega de 1.296 unidades do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV) no bairro Icoaraci, na periferia da capital paraense.

Ao lado do governador Hélder Barbalho (MDB) e do prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho (PSDB), o presidente fez um discurso para uma claque de apoiadores de Coutinho, após entregar chaves aos novos moradores do empreendimento.

Bolsonaro voltou a lembrar, no discurso, da facada que levou durante a campanha eleitoral, em Juiz de Fora (MG). "Fui candidato e me elegi quase que por um milagre, quando por milagre Deus salvou a minha vida. E pelas mãos de vocês eu cheguei a esta Presidência da República." Ao falar do Decreto das Armas, Bolsonaro afirmou que "está fazendo de tudo para cumprir o que prometeu ao longo da campanha".

"Esse decreto regulamentando a lei de armas permite ao cidadão de bem, se assim desejar, ter uma arma dentro de casa. Esse foi um compromisso não de campanha meu, mas de fazer cumprir o referendo de 2005, quando o povo decidiu pelas armas", disse.



Relacionados

Brasil | 14-06-2019 08:00

Ambiente: governo tem R$ 1,8 bilhão parado

Ambiente: governo tem R$ 1,8 bilhão parado

Brasil | 13-06-2019 21:35

Cientistas criam macacos com autismo para testar novos medicamentos

Cientistas criam macacos com autismo para testar novos medicamentos

Brasil | 13-06-2019 20:20

STF criminaliza homofobia, mas faz ressalva quanto à liberdade religiosa

STF criminaliza homofobia, mas faz ressalva quanto à liberdade religiosa

Brasil | 13-06-2019 15:15

Após votação no Senado, Bolsonaro defende decreto que facilita porte de armas

Após votação no Senado, Bolsonaro defende decreto que facilita porte de armas

PUBLICIDADE