Destino do carnaval do Rio será decidido após Crivella voltar de viagem

Estadão Conteúdo
Brasil | Publicado em 15/06/2017 às 15:35

O presidente da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa), Jorge Castanheira, afirmou que aguarda uma audiência com o prefeito do Rio, Marcelo Crivella para decidir os rumos do desfile no carnaval em 2018. De acordo com Castanheira, a apresentação pode ficar inviabilizada caso a prefeitura mantenha a decisão de cortar pela metade a verba destinada às escolas de samba.

A reunião será marcada após Crivella retornar de uma viagem. "É um valor muito substancial no orçamento da escolas. Representa cerca de um terço do que elas recebem para desfilar. Nós vamos tentar achar uma solução boa para nós e para a prefeitura, pois a perda de metade da verba pode inviabilizar a apresentação", disse.

Nesta semana, a Liesa promoveu a reunião para debater o tema e anunciou que, "a prevalecer a decisão" do prefeito Marcelo Crivella (PRB). Em nota divulgada após a reunião, os dirigentes Liga cobram uma reunião dos presidentes das 13 escolas do Grupo Especial com o prefeito.

Crivella é bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd), que tradicionalmente condena os festejos do carnaval entre seus fiéis. Apesar disso, os dirigentes das principais agremiações da Liesa apoiaram a candidatura de Crivella no segundo turno das eleições do ano passado, quando o atual prefeito venceu o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL).



Relacionados

Brasil | 06-10-2018 16:19

Mais de 120 jornalistas são agredidos ao cobrir as eleições de 2018

Mais de 120 jornalistas são agredidos ao cobrir as eleições de 2018

Brasil | 05-10-2018 17:44

Nova lista suja de trabalho escravo denuncia 209 empresas

Nova lista suja de trabalho escravo denuncia 209 empresas

Brasil | 05-10-2018 17:37

Terras indígenas não demarcadas devem ter posto de saúde, decide TRF1

Terras indígenas não demarcadas devem ter posto de saúde, decide TRF1

Brasil | 05-10-2018 16:21

Missa e minuto de silêncio marcam 1 ano de incêndio

Missa e minuto de silêncio marcam 1 ano de incêndio

PUBLICIDADE