Polícia Civil de SP prende suspeitos de roubar relógios de luxo em Florianópolis

Redação Tarobá News
Brasil | Publicado em 02/06/2017 às 20:55

Agentes do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), da Polícia Civil paulista, realizaram na manhã desta sexta-feira, 2, uma ação em Santa Catarina que resultou nas prisões de quatro homens suspeitos de envolvimento em roubos de relógios de luxo. A quadrilha teria agido recentemente na praia de Jurerê Internacional, em Florianópolis, além de atuação em crimes no Rio. Relógios, duas motos, um carro e uma arma de fogo foram apreendidos.

A investigação foi liderada pela 2º Delegacia de Investigações sobre Crime de Intervenção Estratégica, do Deic, e teve apoio da polícia catarinense. Em março, a mesma delegacia já havia conseguido prender três integrantes do bando e outro acabou morto em confronto com os agentes.

"Continuamos apurando os crimes da quadrilha. As informações apontaram roubos no Rio de Janeiro e, recentemente, em Florianópolis", disse o delegado Ítalo Zaccaro Neto, titular da delegacia. Segundo ele, os levantamentos permitiram identificar a célula interestadual do bando, o que fez com que quatro investigadores fossem a Santa Catarina realizar as prisões de: Itamar Moraes da Silva Júnior, de 39 anos, Willian da Silva, de 28, André Moser Pina, de 26, e Elionaldo Henrique da Silva, de 18.



Relacionados

Brasil | 15-02-2019 11:35

Prisões reduzem a pressão na sede da Vale e aumentam peso sobre área operacional

Prisões reduzem a pressão na sede da Vale e aumentam peso sobre área operacional

Brasil | 15-02-2019 09:55

Oito funcionários da Vale são presos; mandados são cumpridos em MG, SP e RJ

Oito funcionários da Vale são presos; mandados são cumpridos em MG, SP e RJ

Brasil | 15-02-2019 09:05

Secretaria da Fazenda libera créditos para consumidores que pediram CPF nas compras

Secretaria da Fazenda libera créditos para consumidores que pediram CPF nas compras

Brasil | 15-02-2019 07:50

Brasil corre risco de perder selo de erradicação do sarampo

Brasil corre risco de perder selo de erradicação do sarampo