Linha 4

Publicidade

Estudo técnico vai avaliar possibilidades de desassoreamento do Lago Igapó

Redação Tarobá News

Um estudo técnico para o desassoreamento do Lago Igapó está sendo desenvolvido pelo município de Londrina com participação de um grupo técnico, com o apoio da Sanepar, que busca soluções para o desenvolvimento do projeto. É preciso avaliar qual o melhor método, avaliando o custo e o impacto da obra.

“Nós estamos colaborando na questão técnica, para auxiliar a prefeitura, dentro do possível, naquilo que pode ser uma solução na questão do desassoreamento do Lago Igapó. Ainda está no trabalho inicial para entender toda a questão da poluição que existe na bacia do Ribeirão Cambé, que é levado para os lagos pela chuva”, afirmou o Gil Gameiro, gerente regional Sanepar.

O Lago Igapó foi criado em 1959 e vem sendo penalizado há vários anos com a falta de um cuidado ambiental efetivo e com diversas construções em seu entorno. Em alguns pontos, a quantidade de resíduos e terra acumulados é tão grande que o volume de água é baixo, sendo possível até caminhar dentro do Lago. O Governo do Estado assumiu o compromisso para colaborar no serviço com verba, mas o município queria uma participação maior. O secretário Planejamento, Marcelo Canhada, disse que na visão dele, a Sanepar deveria ter sido obrigada a fazer o desassoreamento na renovação de contrato, em 2016. A Sanepar respondeu que há um acordo de colaboração, mas que o desassoreamento não é de competência da empresa de saneamento e que por isso não faz parte do contrato com o município.

COMENTÁRIOS

Publicidade

Publicidade