Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Idosa de 89 anos espera quase 3 horas por ambulância do Samu após quebrar o fêmur

27/09/22 às 07:19 - Escrito por Redação Tarobá News

Um idosa de 89 anos ficou quase três horas esperando por atendimento do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) após cair no chão e fraturar o fêmur, na noite de segunda-feira (26). De acordo com um familiar, o primeiro chamado por atendimento foi feito às 18h09, mas somente às 20h50 foi atendida por uma ambulância do SAMU.


A idosa mora na Rua Tietê, no bairro Vila Nova. Por volta das 18h, ela escorregou no piso de casa e caiu no chão. O genro da vítima, Marlon Viegas, conta que a filha dela ligou, primeiramente para o Corpo de Bombeiros, mas não teve retorno no atendimento. Às 18h09, ela ligou para o SAMU. 


"O SAMU disse que as ambulâncias estavam em ocorrência. Às 20h40 liguei novamente para a minha cunhada e o SAMU ainda não tinha ido na casa. Um descaso com a saúde. Somente às 20h50 é que o atendimento foi prestado. Neste tempo todo, a minha sogra ficou no local onde caiu", explicou Marlon Viegas. 


No período de espera, a idosa ficou sem se mexer no local onde caiu. "Por telefone, o atendente disse que não era para mover ela de lugar porque poderia ter algum risco. A minha cunhada tem carro, mas não levou ela ao hospital por orientação do SAMU. Foram horas de angústia", detalhou. 


Marlon não esconde a indignação de ter visto o sofrimento da sogra e pela demora no atendimento. 


"No meu ponto de vista, o que aconteceu com a minha sogra foi um descaso. Não culpo os médicos do SAMU ou os atendentes, o meu questionamento é para quem está lá na prefeitura, para quem recebe o nosso dinheiro. Estou falando por todos os idosos e aposentados: Até quando a população vai aceitar isso? Não é normal demorar esse tanto de tempo por atendimento", enfatizou. 


A sogra de Marlon está internada em um hospital nesta terça-feira (27) e deve fazer a cirurgia no fêmur apenas na sexta-feira (30). 







© Copyright 2022 Grupo Tarobá