Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Manifestantes pedem Justiça por morte de petista e lembram assassinatos

16/07/22 às 10:32 - Escrito por Redação Tarobá News

Um ato de protesto pela morte do guarda municipal, Marcelo Arruda, no último fim de semana em Foz do Iguaçu, é realizado no Calçadão de Londrina na manhã deste sábado (16). Os manifestantes se reuniram próximo ao chafariz e seguiram em direção à Concha Acústica. 


O guarda municipal era uma liderança do Partido dos Trabalhadores (PT) e foi assassinado pelo policial penal Jorge Guaranho, quando comemorava o aniversário de 50 anos. A temática da festa referenciava a legenda política e o presidente Lula. Os manifestantes também lembraram da morte de Marielle Franco, em 2018, e do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Philips neste ano na Amazônia.


Partidos políticos, sindicatos e movimentos sociais convocaram a população de Londrina para o ato denomimado “chega de ódio, somos pela paz”.


A Polícia Civil do Paraná (PCPR) concluiu o inquérito da morte do guarda municipal Marcelo Arruda.

O policial penal Jorge Guaranho foi indiciado por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e perigo comum, mas segundo a Polícia Civil, o crime não aconteceu por motivação política.


Durante as investigações, foram ouvidas 17 pessoas, dentre testemunhas que estavam no local dos fatos e familiares do guarda municipal e do policial penal federal. A PCPR ainda analisou imagens de câmeras e cumpriu diligências complementares.


Na sexta-feira (15), o TSE deu dois dias para o presidente Jair Bolsonaro por conta de discurso de ódio, o que segundo a oposição, pode ter motivado o crime em Foz.


© Copyright 2022 Grupo Tarobá