Linha 4

Publicidade

Na mira do MP, igrejas justificam abertura com medidas de prevenção

Da Redação

Igrejas não concordam com o recurso do Ministério Público na Justiça solicitando a suspensão das celebrações presenciais por conta do avanço da Covid-19. O pastor Emerson Patriota, da Igreja Presbiteriana Central, afirma que as regras estipuladas em decretos estão sendo seguidas.

Assentos afastados para manter o distanciamento, fracos com álcool em gel para higienização das mãos, portas e janelas abertas para o até circular redução do número de pessoas e reuniões com menor tempo de duração, são apenas algumas medidas implementadas pelas igrejas para realizar os cultos e missas com segurança.

Além de pedir a proibição do funcionamento de templos religiosos, o MP também solicita que bares, restaurantes e academias sejam fechadas neste momento. Alguns serviços dos estabelecimentos que vendem alimentos seriam mantidos apenas no formato delivery.

Representantes das instituições religiosas, como o padre Edivan dos Santos, da Paróquia Santa Rita de Cássia, alegam que não há como comparar as atividades nos templos, com as de bares e restaurantes. Assista!

COMENTÁRIOS

Publicidade

Publicidade