Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Recomposição da aprendizagem: Análise do Ideb mostra que Cascavel está no rumo certo

21/09/22 às 11:57 - Escrito por Assessoria

Na tarde de hoje (20), a secretária de Educação de Cascavel, Marcia Baldini, reuniu a imprensa para apresentar a análise dos dados de proficiência em Língua Portuguesa e Matemática das escolas da Rede Municipal, a partir da divulgação da nota do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), divulgado na última sexta-feira (16), no qual Cascavel apresentou a menor queda entre as 10 maiores cidades do estado do Paraná.

 

“Cascavel perdeu apenas 2 décimos e tudo isso se dá, na nossa análise, em decorrência ao período de pandemia, que ocorreu nos dois anos anteriores, em que os alunos da rede municipal estiveram em torno de 1 ano e meio afastados das atividades presenciais”, explicou a secretária.

 

Marcia Baldini explicou que o índice é calculado a partir de uma uma avaliação que ocorre a cada dois anos, com o objetivo avaliar as redes públicas de ensino, na proficiência em Língua Portuguesa e Matemática, mais a nota de fluxo, que são os índices de aprovação, reprovação e evasão escolar, que ocorrem no período de dois anos. Diante disso, a secretária  ressaltou que é importante, além da nota do Ideb, analisar a proficiência de cada escola, tendo em vista que a maioria dos municípios adotou o Continuum Curricular, que reduziu os índices de reprovação neste período de pandemia, o que pode mascarar alguns dados no Ideb. “Em relação à proficiência, tivemos escolas que avançaram, escolas que regrediram e escolas que mantiveram o mesmo índice, assim como tivemos escolas que atingiram a meta e outras não. Esse é um momento crítico, considerando toda a questão da pandemia”.

 

A secretária apresentou o comparativo dos índices de 2019 e de 2021. Em relação à nota do Ideb, Cascavel teve um decréscimo pequeno, considerando o contexto de pandemia e de aulas remotas, saindo dos 6.5 pontos em 2019, para 6.3, em 2021. Já a proficiência geral do município passou de 6.7 em 2019 para 6.4 em 2021. Especificamente em Língua Portuguesa, a proficiência foi de 6.4 em 2019 para 6.2 em 2021 e Matemática, de 6.9 em 2019, para 6.6 em 2021.

 

Dentre as escolas municipais, 15 aumentaram a nota, mesmo em meio às dificuldades impostas pela pandemia, e 14 escolas atingiram a meta estipulada pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira). Já outras 32 escolas baixaram a nota e 40 escolas não atingiram a meta estipulada para 2021.

 

A secretária de Educação afirmou que o município agora trabalha na elaboração de um planejamento geral da Rede Pública Municipal de Cascavel, que considere as especificidades e dificuldades de cada escola, considerando ainda as diferenças sociais e econômicas de cada unidade, que também interferem no processo de ensino e aprendizagem. “É muito diferente avaliar um aluno de escola central, em que as crianças têm todo o acompanhamento e condições materiais que os pais possibilitam, e escolas de regiões periféricas, em que muitas vezes o aluno não tem nem uma mesa para colocar o caderno em casa, para fazer as atividades da escola”.

 

Baldini ainda ressaltou que o momento agora é de olhar para o futuro, através do planejamento, e analisar os resultados, não para ranqueamento, mas para buscar melhorar a qualidade da Educação. “Vejo que os resultados poderiam ser muito piores, considerando todo o período de pandemia, e esse resultado só não foi pior, pq nós tivemos um grande engajamento dos professores e profissionais da Educação. Já percebemos as nossas falhas e agora teremos que trabalhar para recuperar tudo isso”.

 

Vale lembrar que antes mesmo da aplicação da avaliação Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica), que ocorreu em novembro de 2021, tão logo os alunos da Rede Municipal retornaram para as atividades presenciais, após um período de restrições mais severas, impostas pela Covid-19, Cascavel já organizava ações de recuperação em todas as escolas municipais, por meio dos reforços paralelos, atividades de contraturno escolar, bem como ações que aconteceram aos sábados, com objetivo de recompor as aprendizagens.

 

As ações de recomposição das aprendizagens seguem a todo o vapor, no entanto, conforme explicou a secretária Marcia Baldini, este é um trabalho que precisa ser feito em conjunto e depende também do apoio da sociedade e das famílias dos alunos. “O nosso objetivo é um só: melhorar os aspectos de aprendizagem, e se família e escola trabalharem juntos, com certeza os resultados serão muito melhores no ano de 2023”.


Confira mais detalhes na reportagem exibida no Jornal Tarobá 1ª Edição:


© Copyright 2022 Grupo Tarobá