Linha 4

Publicidade

Secretaria de Saúde alerta para foco de raiva em bovinos em Cascavel

Redação Tarobá News

Foto: AEN

No dia 26 de março a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (ADAPAR), informou do diagnóstico positivo para raiva de um bovino na Linha Colônia Barreiros – área rural do Município de Cascavel, desde então mais 5 bovinos foram diagnosticados como positivos, totalizando 6 bovinos. 

O foco de ação foi ampliado para o Reassentamento São Francisco, Lago Azul, Melissa, Centralito, Colônia Esperança e Distrito de São João. A Secretaria de Saúde, por meio da Vigilância em Saúde Ambiental/Setor Zoonoses alerta que todas as pessoas que tiveram contato ou possível contato nos últimos meses, com bovinos, equinos, ovinos e caprinos doentes (suspeitos ou confirmados), principalmente com a saliva dos animais doentes, procurem atendimento médico na unidade de saúde de referência (USF da comunidade, UPA Veneza nos finais de semana ou assistência particular), para que um médico faça a avaliação da necessidade de vacinação antirrábica. 

Faça anualmente a vacinação antirrábica dos cães e gatos e não permita que eles tenham contato com bovinos ou outros animais doentes, pois podem se contaminar. Faça a vacinação dos animais de produção conforme as orientações do ADAPAR e evite manipular animais doentes, se for necessário use luvas compridas de proteção. Procure atendimento médico se for mordido ou arranhado por cães, gatos ou morcegos. Em caso de encontrar um morcego morto ou caído não toque, coloque um balde ou caixa de papelão em cima, e entre em contato com o Setor de Controle de Zoonoses do município para coleta – telefone de contato: 3902-1769 ou plantão 98804-7211 das 07:00 às 19:00 em feriados em finais de semana. 

VÍRUS DA RAIVA - O vírus rábico, contido na saliva do animal, penetra no organismo principalmente por meio de mordedura, pela arranhadura e lambedura de mucosas. Na área urbana, as principais fontes de infecção são o cão e o gato. Nos cães e nos gatos, a eliminação de vírus pela saliva ocorre entre dois a cinco dias  antes do aparecimento dos sinais clínicos, persistindo durante toda a evolução da doença. A morte do animal ocorre, em média, entre cinco a sete dias após a apresentação dos sintomas. 

RAIVA BOVINA - O principal transmissor de raiva para os bovinos são os morcegos hematófagos, que fazem parte do ciclo rural da doença. O primeiro sintoma é o afastamento do animal do resto do rebanho seguido de coceira na região mordida, perturbação dos sentidos, tristeza, indiferença, baba espumante e viscosa com sinais que sugerem engasgo, movimentos desordenados da cabeça, manifestação de tremores musculares e ranger de dentes, movimentos de pedalagem dos posteriores e anteriores. Na maioria dos casos a doença causa a morte do animal entre o terceiro e o sexto dia após o início dos sintomas. Em caso de dúvidas seguem os contatos de referência: 

Ambulatório Antirrábico (orientações sobre vacina humana): 3392-6408 Vigilância em Saúde Ambiental: 39021769 - Plantão Setor de Zoonoses: 98804-7211 ADAPAR: 45 2101-4955 / 2101-4961 / 2101-4968.

Assessoria 

COMENTÁRIOS

Publicidade

Publicidade