Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel

Segunda etapa do mutirão de saúde auditiva começa em Londrina

26/08/19 às 12:21 - Escrito por Redação Tarobá News

A Prefeitura de Londrina lançou, na manhã desta segunda-feira (26), a segunda etapa do mutirão de saúde auditiva. O prefeito Marcelo Belinati acompanhou a entrega de cem aparelhos auditivos, referentes ao primeiro lote desta nova fase da campanha. O secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, também participou da entrega, realizada no Instituto Londrinense de Educação de Surdos (ILES), entidade credenciada ao Município. Belinatti lembrou que a Prefeitura tem realizado vários mutirões na Saúde. “E esse é para fornecer os aparelhos para pessoas com deficiência auditiva, e que estavam na fila, aguardando há muitos anos. Na primeira etapa já atendemos mais de 1.500 pessoas, fornecendo os aparelhos, e agora iniciamos a segunda etapa”, citou.

O prefeito ressaltou que os pacientes beneficiados pelo mutirão de saúde auditiva não possuem condições financeiras de arcar com o tratamento na rede particular. “É um custo alto, em torno de 3 a 5 mil reais, por isso as pessoas muitas vezes não têm como adquirir o aparelho. E esse programa busca amenizar ou até mesmo acabar com as filas da Saúde em Londrina. Temos convênio com o ILES, que está completando 60 anos em Londrina, e que tem todos os profissionais capacitados e qualificados. Eles fazem a triagem dos pacientes, com vários exames que dão a indicação precisa para a pessoa que vai receber o aparelho. É todo um trabalho em conjunto, com equipe multidisciplinar, e o mutirão tem essa parceria com o ILES, que faz a compra e a entrega do aparelho, dá orientação e faz o acompanhamento desses pacientes”, enfatizou.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, os aportes feitos pelo Município no segundo mutirão de saúde auditiva chegam a R$720 mil, em recursos próprios, e abrangem todo o processo, que inclui consultas com especialistas, aquisição da prótese auditiva, exames como audiometria e BERA, entre outros procedimentos. “Nessa segunda etapa, estão previstos para entrega aproximadamente mil aparelhos. Firmamos um compromisso com o ILES ao passo em que, quando eles atingirem essa meta, se ainda permanecer a necessidade do mutirão, o prefeito autorizou manter o repasse de recursos, para a instituição chegar ao objetivo de zerar a fila de espera”, contou.

Machado citou que o primeiro mutirão de saúde auditiva, iniciado em meados de 2018, envolveu a realização de 2.746 procedimentos. “Na primeira fase, foram dispensados cerca de 1.500 aparelhos auditivos, e tínhamos casos de pessoas que aguardavam há cinco, seis anos pela prótese. Então essa etapa inicial foi um sucesso, motivo pelo qual o prefeito decidiu pela continuidade. Com esse novo mutirão, vamos conseguir reduzir a fila de espera para o período do processo em si, ou seja, até o paciente ser encaminhado ao ILES, fazer todos os exames de diagnóstico e seleção, e receber a prótese mais apropriada. E são todos aparelhos com tecnologia digital, o que há de mais moderno no mercado, justamente para que essas pessoas tenham mais qualidade de vida”, afirmou. Para a fundadora e presidente do ILES, Rosalina Lopes Franciscon, é motivo de muita alegria ver tantos pacientes receberem pelo seu aparelho. “São pessoas que aguardavam por isso há anos. E nós ficávamos preocupados, por saber que a pessoa teria condições de ter uma vida melhor, mas faltava o aparelho. Então esse mutirão está sendo maravilhoso. Por mês, aqui no ILES são cerca de 89 pessoas do município atendidas com as próteses auditivas. E o mutirão vai até o próximo ano, dobrando o número de pacientes beneficiados. A fila dificilmente zera, pois a cada dia entram novos pacientes, mas é uma medida que reduz drasticamente o tempo de espera”, detalhou.

Nova história – Entre os cem pacientes agendados para o primeiro lote de entrega das próteses, estavam Ingrid Silva dos Santos, com o filho João Lucas, de 4 anos. Moradores do Jardim Ideal, Ingrid estava com grandes expectativas, já que há dois anos João Lucas foi diagnosticado com perda auditiva moderada bilateral, confirmando a necessidade do aparelho auditivo. “Quando ele começou a ir na creche foi observada essa dificuldade de ouvir, e os professores pediram para levá-lo ao médico. Do posto de saúde do bairro nos encaminharam para o especialista, e começamos o tratamento aqui no ILES. Estou apreensiva com a adaptação dele com o aparelho, que é algo muito caro e eu não tenho como adquirir. Mas para a vida dele vai ser ótimo. Ele não conversa muito, já que as pessoas não entendem o modo dele de falar, mas com o aparelho ele vai conseguir falar melhor, vai poder brinca. Com certeza é algo que vai fazer a diferença na vida dele”, comemorou a mãe.

(Informações via N.Com)

© Copyright 2022 Grupo Tarobá