Linha 4

Publicidade

UENP: Pesquisa aponta que 8,5% das pessoas da região já tiveram Covid-19

Redação Tarobá News

A Universidade Estadual do Norte do Paraná, em parceria com as Regionais de Saúde de Cornélio Procópio e Jacarezinho, Secretarias Municipais de Saúde da região, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e apoio da Fiocruz/Bio-Manguinhos/ Ministério da Saúde, divulgou o resultado da pesquisa realizada sobre a Covid-19 na região Norte Pioneira. O objetivo da pesquisa era identificar o percentual da população adulta da região que apresenta anticorpos contra Covid-19 e conhecer a adesão dos participantes sobre as medidas de prevenção.

Clique AQUI para conferir o relatório completo da pesquisa.

A pesquisa foi realizada em 14 municípios (Andirá, Bandeirantes, Barra do Jacaré, Cambará, Carlópolis, Cornélio Procópio, Leópolis, Quatiguá, Ribeirão do Pinhal, Santa Mariana, Santana do Itararé, Santo Antônio da Platina, Sertaneja e Siqueira Campos) dos 43 que compõem a região. Inscreveram-se no estudo 1356 voluntários adultos, que tralharam no período da pandemia, dos quais, 609 foram selecionados aleatoriamente. Destes, 527 compareceram e realizaram o teste, 80 faltaram e 2 compareceram, mas optaram por não realizar o teste.

A média de idade dos participantes foi de 36,9 anos (desvio padrão de 9,5 anos), 60,4% da amostra foi composta por mulheres e 39,6 % por homens. Se declararam brancos 66,6% dos participantes; 18,2% pardos; 6,3% negros; 0,2% indígenas; 0,8 % outros e 8% não informou. Em relação ao local de residência dos voluntários, 87,1% residem na zona urbana, 5,3% na área rural e 7,6% não informaram. A média de pessoas que residem no mesmo domicílio foi de 3 pessoas – incluindo o participante. Quanto ao impacto da pandemia no trabalho e renda, 27,3% dos participantes relataram redução da jornada semanal de trabalho e 17,6% redução no salário mensal.

A pesquisa apresentou que a proporção calculada de pessoas adultas com anticorpos contra a Covid-19, na região, no período de 11 de junho a 11 de agosto de 2020, foi de 8,5% (IC (95%): 7,3 - 9,8). Com base nesses valores da amostra, a projeção para população é de que 25.064 pessoas adultas (18 a 59 anos) da região norte pioneira do Paraná apresentavam anticorpos contra a COVID-19, com intervalo de confiança de 95% que essa estimativa possa estar entre 21.525 a 28.897 pessoas.

Segundo a pesquisa, comparando a estimativa de pessoas adultas da região com provável exposição ao vírus e o número de casos confirmados para Covid-19 no boletim da SESA-PR no dia 11 de agosto, estima-se que o real número de pessoas expostas ao vírus na região seja aproximadamente 8 vezes maior do que o número indicado no boletim epidemiológico, podendo oscilar entre 7 a 10 vezes. Vale lembrar que a projeção da pesquisa é para população na faixa etária de 18 a 60 anos e o boletim epidemiológico informa o número total de casos confirmados compreendendo toda a faixa etária. Por esse motivo, infere-se que essa diferença possa ser maior.

Os dados foram coletados de 11 de junho a 11 de agosto. A presença do anticorpo IgM e IgG contra SARS-COv-2, foi verificada a partir de amostra biológica (sangue) por punção da polpa digital do participante e analisado pelo kit de teste rápido TR DPP® Covid-19 IgM/IgG Bio-Manguinhos (Registro na ANVISA nº 80142170039). Todos os participantes que apresentaram resultados do teste rápido reagentes para detecção de anticorpos, foram encaminhados para o serviço de referência do município, assegurando a continuidade do cuidado em saúde.

Medidas de Prevenção

Além de identificar o percentual da população adulta da região que apresenta anticorpos contra Covid-19, a pesquisa também tinha o objetivo de conhecer a adesão dos participantes sobre as medidas de prevenção. A pesquisa mostrou que o uso da máscara foi a medida de precaução adotada por quase todos participantes (96%) – o uso de máscara pela comunidade foi recomendado pelo Ministério da Saúde, e tornou-se obrigatório no estado do Paraná, (Decreto Estadual nº. 4692 de 25/05/2020), visto que o uso de máscara reduz a carga viral disseminada e recebida. As medidas para prevenção e controle, dispostas no Plano de Contingência do Estado do Paraná, como a higienização das mãos com álcool em gel (97%) e água e sabão (90%) e o distanciamento social (69%), também são medidas adotadas pela maioria dos participantes.

O Núcleo de Estudos e Enfrentamento da Covid-19 (NEECOVID/UENP) agradece aos voluntários que participaram da pesquisa e os profissionais que colaboraram para a realização do estudo. Os pesquisadores recomendam atenção às principais medidas para evitar a propagação do vírus (como o uso de mascará, distanciamento físico entre as pessoas e lavagem e higienização das mãos), pois a pandemia não chegou ao fim.

(Assessoria)

COMENTÁRIOS

Publicidade