Anatel quer ficar de fora de lista de credores da Oi

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 14/06/2017 às 09:40

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) pediu para ser excluída do processo de recuperação judicial da Oi. A solicitação foi apresentada à Justiça na última sexta-feira. Caberá ao juiz responsável pelo processo, Fernando Viana, tomar a decisão. Em processos de recuperação judicial, negociações levam a descontos na dívida dos credores que podem superar a marca de 70%. Se a Justiça avaliar que a agência tem razão, a Oi não poderá aplicar deságio sobre a dívida com o governo.

"Não cabe (à Anatel) participar da assembleia de credores. É um processo separado", afirmou o presidente da agência reguladora, Juarez Quadros, em entrevista ao Estadão/Broadcast.

Em recuperação judicial, a Oi tem dívida de R$ 65 bilhões, e o governo é um dos maiores credores. Considerando impostos, outorgas e multas, a companhia deve R$ 20 bilhões, segundo a Anatel. Na última relação de credores, publicada pelo administrador judicial, a dívida reconhecida era de R$ 11 bilhões.

A assembleia de credores da Oi está prevista para setembro. Caso não seja possível chegar a um acordo, o juiz pode decretar falência da companhia, disse Quadros. Antes disso, porém, o presidente da Anatel ressaltou que o juiz teria de abrir o caminho para uma intervenção da agência - caminho que, por enquanto, é o preferidos de fundos interessados em investir na Oi. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Relacionados

Economia | 20-02-2019 18:35

Petrobras eleva em 1,23% preço médio da gasolina nas refinarias, para R$ 1,6538

Petrobras eleva em 1,23% preço médio da gasolina nas refinarias, para R$ 1,6538

Economia | 20-02-2019 16:55

Guedes: reforma é para reduzir desigualdades e eliminar privilégios

Guedes: reforma é para reduzir desigualdades e eliminar privilégios

Economia | 20-02-2019 16:35

Marca de R$ 1 trilhão de economia é importante para reforma, diz Guedes

Marca de R$ 1 trilhão de economia é importante para reforma, diz Guedes

Economia | 20-02-2019 15:50

Gilmar diz que dará mais 12 meses para Congresso votar sobre Lei Kandir

Gilmar diz que dará mais 12 meses para Congresso votar sobre Lei Kandir

PUBLICIDADE