Até agora, mais de 80% do emprego veio de pequenas empresas, diz secretário

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 18/10/2019 às 14:35

O secretário especial de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, disse nesta sexta-feira, 18, que mais de 80% do número de empregos gerados até agora em 2019 veio de pequenas empresas, tanto nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), quanto no levantamento da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua.

"Pequenas empresas vão ser o grande vetor de crescimento nos próximos anos", disse o secretário, durante evento de divulgação do Ranking de Competitividade dos Estados, elaborado pelo Centro de Liderança Pública (CLP), na B3, em São Paulo.

Para ele, o Brasil vive uma "revolução silenciosa" com esses empreendimentos.

"Nós tivemos muito sucesso nos últimos em aumentar o número de pequenas empresas no Brasil. No entanto, a produtividade é muito baixa", disse Costa, emendando que uma das prioridades da Secretaria Especial de Produtividade e Competitividade é tornar as pequenas empresas mais produtivas e competitivas.

Costa afirmou, ainda, que "alguns trabalhadores por conta própria são parte da nova economia", citando motoristas de Uber e faxineiras que trabalham por aplicativo. "É uma nova relação de trabalho, e é um emprego da melhor qualidade, porque é a pessoa sendo empresária de si mesma", completou o secretário.



Relacionados

Economia | 09-07-2020 11:55

Procon diz que multará Enel por prática abusiva ligada a cobrança da conta de luz

Procon diz que multará Enel por prática abusiva ligada a cobrança da conta de luz

Economia | 09-07-2020 11:45

Ipea: consumo aparente de bens industriais no país cresce 3% em maio ante abril

Ipea: consumo aparente de bens industriais no país cresce 3% em maio ante abril

Economia | 09-07-2020 11:40

Após romper os 100 mil pontos, Ibovespa perde força com exterior

Após romper os 100 mil pontos, Ibovespa perde força com exterior

Economia | 09-07-2020 10:39

Pandemia causou impacto em 57% das companhias exportadoras, revela CNI

Pandemia causou impacto em 57% das companhias exportadoras, revela CNI