Autuações da Receita Federal na Lava Jato somam R$ 11,47 bilhões

Redação Tarobá News
Economia | Publicado em 01/06/2017 às 12:20

As autuações da Receita Federal às empresas e envolvidos na Lava Jato já somam R$ 11,47 bilhões, informou o órgão nesta quinta-feira, 1º de junho. Desse total, R$ 6,75 bilhões correspondem a créditos tributários, multa e juros.

A Receita instaurou 1.686 procedimentos fiscais para investigar os crimes de sonegação fiscal, omissão de bens, fraude à fiscalização, falsificação ou alteração de notas fiscais, entre outros crimes.

Esses procedimentos resultaram em 67 representações fiscais encaminhadas ao Ministério Público Federal e outras 140 devem ser enviadas até 2018. De acordo com a Receita, essas representações podem servir de subsídios para reforçar provas já existentes ou dar início a novas investigações.

O órgão não informou quanto já foi pago pelos investigados. A expectativa da Receita é de que o montante das autuações chegue a R$ 15,5 bilhões até o fim do ano.

De acordo com a Receita Federal, o órgão também atua na Operação Ratatouille, desdobramento da Calicute, que investiga os esquemas de propina durante o governo de Sérgio Cabral (PMDB).

Na manhã desta quinta-feira, foi preso o empresário Marco Antônio de Luca, acusado de subornar agentes públicos para fornecer alimentação para escolas estaduais e presídios.



Relacionados

Economia | 26-06-2019 18:25

Ibovespa tem alta de 0,60% com mercado à espera de Previdência e acordo EUA-China

Ibovespa tem alta de 0,60% com mercado à espera de Previdência e acordo EUA-China

Economia | 26-06-2019 18:20

Dólar tem leve queda e termina em R$ 3,84 em novo dia de intervenção do BC

Dólar tem leve queda e termina em R$ 3,84 em novo dia de intervenção do BC

Economia | 26-06-2019 18:00

Maia diz que ainda não há acordo sobre Estados e municipios na reforma

Maia diz que ainda não há acordo sobre Estados e municipios na reforma

Economia | 26-06-2019 16:05

Compras com cartões crescem 17% no 1º trimestre de 2019

Compras com cartões crescem 17% no 1º trimestre de 2019

PUBLICIDADE