Economia

Economia

Bolsas de NY fecham em queda, puxadas por ações de bancos e de energia


Os mercados acionários americanos fecharam em baixa nesta quarta-feira, 31, pressionados por ações de instituições financeiras e de energia. A queda nos preços do petróleo e uma queda nas receitas dos bancos, além de dados da economia americana, fizeram com que as bolsas voltassem a recuar no pregão de hoje.

O índice Dow Jones fechou em baixa de 0,10%, aos 21.008,65 pontos; o S&P 500 recuou 0,05%, aos 2.411,80 pontos; e o Nasdaq teve perda de 0,08%, aos 6.198,52 pontos.

Nesta quarta-feira, JPMorgan e Bank of America sinalizaram que suas receitas no segundo trimestre devem enfraquecer, após uma série de trimestres fortes, que impulsionaram seus resultados. Com isso, todo o setor financeiro perdeu fôlego, com os dois caindo 2,09% e 1,86%, respectivamente, e o Goldman Sachs recuando 3,33%.

Além disso, ações de energia voltaram a recuar, pressionadas pelos preços do petróleo, que continuam a perder força após a extensão do acordo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e de outros grandes produtores. Hoje, relatos de que a Líbia teria aumentado sua produção de 300 mil barris por dia para 500 mil barris por dia fizeram com que os preços do petróleo voltassem a cair, puxando para baixo os papéis da ExxonMobil (-0,74%), da Chevron (-0,56%) e da Chesapeake (-0,78%).

Entre os dados da economia americana divulgados hoje, o Instituto para Gestão de Oferta (ISM, na sigla em inglês) informou que o índice de atividade industrial de Chicago subiu ao maior nível desde novembro de 2014, passando de 58,3 em abril para 59,4 em maio, ficando acima da expectativa dos analistas, que esperavam queda a 56,5. Fonte: Dow Jones Newswires.


Selecione sua cidade

Cascavel | Londrina