China promete melhores condições de financiamento ao setor privado

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 09/11/2018 às 11:15

A China prometeu oferecer melhores condições de financiamento a pequenas empresas do setor privado, incluindo acesso mais amplo e custos mais baixos, informou hoje a emissora de TV estatal CCTV.

Pequim tem o objetivo de reduzir a taxa de juros média dos empréstimos para pequenas empresas em um ponto porcentual no quarto trimestre em relação à do primeiro, segundo a mídia estatal, que citou uma reunião do Conselho Estatal - o gabinete chinês - presidida pelo primeiro-ministro Li Keqiang.

O gabinete também decidiu permitir que bancos usem mais tipos de títulos como garantia de empréstimos tomados por meio da linha de médio prazo do banco central chinês (PBoC), de forma a aliviar problemas de caixa de empresas menores. Além disso, o conselho prometeu ajudar essas companhias a levantar recursos por meio de emissões de ações ou bônus.

Uma campanha especial será lançada para incentivar governos locais e estatais a liquidar pagamentos atrasados com empresas privadas dentro de certos prazos. Infratores recorrentes serão incluídos numa lista negra de entidades desonestas.

Na semana passada, o presidente Xi Jinping participou de um simpósio com dezenas de empresários do setor privado, dando garantias de que o governo irá estudar novas formas de proteger e sustentar o setor. Fonte: Dow Jones Newswires.



Relacionados

Economia | 21-01-2019 11:05

Previsão do superávit comercial em 2019 cai para US$ 52,00 bi

Previsão do superávit comercial em 2019 cai para US$ 52,00 bi

Economia | 21-01-2019 10:50

Juros têm viés de alta com dólar e liquidez fraca em dia de feriado nos EUA

Juros têm viés de alta com dólar e liquidez fraca em dia de feriado nos EUA

Economia | 21-01-2019 10:50

Dólar sobe ante real e outras moedas emergentes após PIB da China

Dólar sobe ante real e outras moedas emergentes após PIB da China

Economia | 21-01-2019 08:35

Brasil leva a Davos 'refundação' da OMC

Brasil leva a Davos 'refundação' da OMC