Compromisso é julgar processos sobre JBS de forma isenta, diz indicado à CVM

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 13/06/2017 às 14:45

Foto: Divulgação

Indicado a diretor da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o advogado Gustavo Gonzales foi questionado sobre a atuação do órgão em relação às denúncias de que a JBS teria atuado de forma irregular nos mercados de câmbio e de ações às vésperas da divulgação da delação de executivos da empresas. Os questionamentos foram feitos durante sabatina na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, que terminou com a aprovação de Gonzales por 17 votos a 2.

O advogado disse que tem apenas notícias pela imprensa, de que a CVM tem atuado nos casos citados. "Não gostaria de fazer comentários com base em notícias de jornais, mas assumo o compromisso de julgar processos de forma isenta e técnica", afirmou.

Gonzales ressaltou ainda que a CVM tem um papel muito importante neste momento em que o BNDES prioriza investimentos com cunho social e deixa um espaço vazio para o financiamento da atividade produtiva. "É importante continuar trabalhando para um mercado transparente e justo. O investidor não vai investir no mercado se não acreditar que há igualdade de condições", completou.

O nome de Gonzales ainda tem que ser aprovado pelo plenário do Senado, o que deverá ocorrer em sessão ainda nesta terça-feira, 13.



Relacionados

Economia | 20-08-2018 12:55

Há discussão para antecipar medidas para imobiliário em setembro, diz Caixa

Há discussão para antecipar medidas para imobiliário em setembro, diz Caixa

Economia | 20-08-2018 12:40

Etanol cai em 20 Estados e no DF; preço médio recua 1,56% no País

Etanol cai em 20 Estados e no DF; preço médio recua 1,56% no País

Economia | 20-08-2018 12:25

CBIC: FGTS virou 'Posto Ipiranga; se tem problema de recursos, pergunta lá'

CBIC: FGTS virou 'Posto Ipiranga; se tem problema de recursos, pergunta lá'

Economia | 20-08-2018 12:10

Ambev negocia com Volkswagen para incluir caminhões elétricos na frota

Ambev negocia com Volkswagen para incluir caminhões elétricos na frota