CVM decide inspecionar BDO RCS e KPMG por auditorias em balanços da JBS

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 01/06/2017 às 12:05

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) informou nesta quinta-feira, 1º de junho, em comunicado ao mercado financeiro, ter iniciado inspeções na BDO RCS Auditores Independentes e na KPMG Auditores Independentes para apurar determinados procedimentos de auditoria realizados nas demonstrações financeiras da JBS.

A KPMG foi responsável pelos relatórios do frigorífico entre 2009 e 2012, enquanto a BDO RCS fez a auditoria entre 2013 e 2016. De acordo com o órgão regulador do mercado de capitais, os processos administrativos foram abertos no último dia 23 por solicitação da Superintendência de Normas Contábeis e de Auditoria (SNC).

A fiscalização da BDO RCS está em andamento na Gerência de Fiscalização Externa 3, enquanto o outro caso é tocado pela Gerência de Fiscalização Externa 4.

"A CVM considera relevante atualizar o mercado e o público em geral a respeito dos procedimentos envolvendo a JBS abertos após as notícias, veiculadas em 17 de maio de 2017, a respeito da delação de acionistas controladores da companhia", diz o comunicado.

O órgão regulador voltou a informar que há ainda mais oito processos administrativos relacionados à JBS, além de dois inquéritos administrativos que foram iniciados para aprofundar investigações de outros dois processos.



Relacionados

Economia | 20-02-2019 18:35

Petrobras eleva em 1,23% preço médio da gasolina nas refinarias, para R$ 1,6538

Petrobras eleva em 1,23% preço médio da gasolina nas refinarias, para R$ 1,6538

Economia | 20-02-2019 16:55

Guedes: reforma é para reduzir desigualdades e eliminar privilégios

Guedes: reforma é para reduzir desigualdades e eliminar privilégios

Economia | 20-02-2019 16:35

Marca de R$ 1 trilhão de economia é importante para reforma, diz Guedes

Marca de R$ 1 trilhão de economia é importante para reforma, diz Guedes

Economia | 20-02-2019 15:50

Gilmar diz que dará mais 12 meses para Congresso votar sobre Lei Kandir

Gilmar diz que dará mais 12 meses para Congresso votar sobre Lei Kandir

PUBLICIDADE