Dólar recua a R$ 4,09 sob influência de S&P e relatos sobre acordo EUA/China

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 12/12/2019 às 18:55

O dólar oscilou ao sabor de boas notícias internas e externas no pregão desta quinta-feira, 12, deixando o real se valorizar. No fechamento, a cotação desceu a R$ 4,0935 (-0,62%), bem próxima do menor nível desde 7 de novembro passado (R$ 4,0930). A divisa americana abriu em baixa, refletindo as expectativas mais positivas para o Brasil, com a mudança de perspectiva de 'neutra' para 'positiva' para a nota de crédito soberana anunciada pela agência de classificação de risco S&P Global Ratings na noite de ontem. Depois, a queda foi acentuada com notícias sobre possível apaziguamento da guerra comercial entre Estados Unidos e China.

"O presidente dos EUA, Donald Trump colocou a cereja no bolo", disse Jefferson Laatus, estrategista-chefe da Laatus, referindo-se ao tuíte de Trump de que o país está chegando muito perto de um grande acordo comercial com a China, na manhã de hoje. Já quase ao final da sessão do mercado à vista, notícia da TV Bloomberg de que um acordo comercial, em princípio, estaria aguardando a assinatura do presidente americano, levou o dólar à mínima do dia em R$ 4,0858.

Segundo fontes citadas pela Dow Jones Newswires, os EUA podem cortar até 50% nas tarifas sobre US$ 360 bilhões em produtos chineses, além de cancelar uma nova rodada de tarifas previstas para entrar em vigor neste domingo, dia 15. O estrategista-chefe ressalta, entretanto, que, se essa notícia não for confirmada pela Casa Branca de maneira oficial, é possível que a sexta-feira seja um dia de maior estresse, dada toda a instabilidade que traz embutida.

O Credit Default Swap (CDS) de cinco anos do Brasil chegou a ser negociado na tarde de hoje a 100 pontos, no menor nível desde setembro de 2012, de acordo com cotações da IHS Markit. Ontem, as taxas fecharam em 108 pontos. Pela manhã, o CDS caiu para 103 pontos.

Operadores ressaltam que o movimento reflete a inesperada mudança na perspectiva para o rating. "A S&P inesperadamente revisou a perspectiva para o rating brasileiro, citando progressos na redução do déficit fiscal e melhora no crescimento econômico", ressaltou, em relatório, o banco Mizuho. Os analistas do banco preveem dólar encerrando 2019 a R$ 4,10 e a R$ 4,00 no próximo ano.



Relacionados

Londrina | 04-08-2020 21:30

Shoppings traçam estratégias de retomada até o fim do ano

Shoppings traçam estratégias de retomada até o fim do ano

Cascavel | 04-08-2020 14:55

Inovação no universo digital é tema de webinar gratuita

Inovação no universo digital é tema de webinar gratuita

Economia | 04-08-2020 09:55

Senadores garantem que não aprovarão 'nova CPMF'

Senadores garantem que não aprovarão 'nova CPMF'

Foz do Iguaçu | 03-08-2020 13:18

Itaipu faz nova operação especial para ajudar no escoamento da safra de soja do Paraguai

Itaipu faz nova operação especial para ajudar no escoamento da safra de soja do Paraguai

PUBLICIDADE