Dólar recua, após abrir com viés de alta, à espera de dados de emprego dos EUA

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 02/06/2017 às 10:00

Foto: Fernanda Carvalho

O dólar abriu em alta, acompanhando a valorização no exterior diante da queda de commodities, mas virou e caiu em meio à desaceleração das perdas do petróleo nesta sexta-feira, 2, e a alta da produção industrial em abril ante março acima da mediana das projeções do mercado (0%). Os investidores ajustam posições enquanto aguardam o relatório de emprego dos Estados Unidos em maio, que sai no período da manhã, pelo horário de Brasília.

A expectativa é de que o chamado "payroll" desacelere para 184 mil vagas, ante as 211 mil registradas em abril. Ainda assim, se a estimativa for confirmada, tende a impulsionar mais os juros dos Treasuries e o dólar, por conta de um possível aumento nas apostas de alta de juros na reunião do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) nos próximos dias 13 e 14 de junho, além de um outro eventual aperto em setembro ou dezembro deste ano.

Internamente, a produção industrial brasileira subiu 0,60% em abril ante março, na série com ajuste sazonal, segundo o IBGE. O resultado veio acima da mediana (0%) mas dentro das expectativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, de uma queda de 1,20% a uma expansão de 1,30%.

Às 9h26, O dólar à vista caía 0,30%, aos R$ 3,2361. O dólar futuro para julho recuava 0,50%, aos R$ 3,2575.



Relacionados

Economia | 22-05-2018 21:50

Câmara aprova MP que altera juros em fundos constitucionais

Câmara aprova MP que altera juros em fundos constitucionais

Economia | 22-05-2018 21:50

Política de preços de combustíveis permanece inalterada, diz Petrobras

Política de preços de combustíveis permanece inalterada, diz Petrobras

Economia | 22-05-2018 21:45

Plataforma para acordo de poupadores sobre planos tem 3.250 cadastros no 1º dia

Plataforma para acordo de poupadores sobre planos tem 3.250 cadastros no 1º dia

Economia | 22-05-2018 19:40

Paranaguá: com bloqueios, volume de cargas que entram no porto volta a cair

Paranaguá: com bloqueios, volume de cargas que entram no porto volta a cair

PUBLICIDADE