Educação abre edital para compra de alimentos da agricultura familiar

Redação Tarobá News
Economia | Publicado em 24/01/2020 às 08:36

Foto: Arquivo N.Com

Uma chamada pública foi pública nesta quinta-feira (23), para a compra de alimentos da agricultura familiar para a merenda de toda a rede municipal de ensino. O valor máximo a ser contratado neste ano é de R$ 6.889.222,25 para a compra de mais de 60 itens que podem ser fornecidos por agricultores de Londrina ou outras cidades. Podem participar, grupos formais e informais, além de fornecedores individuais.

A compra é para suprir a demanda do ano letivo de 2020, quando serão atendidos mais de 45 mil alunos, entre escolas municipais, Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) e unidades filantrópicas conveniadas. A vigência do contrato será de 12 meses, após todos os trâmites técnicos.

O recebimento dos envelopes dos interessados em participar deve ocorrer a partir desta sexta-feira (24), das 8h30 às 17h, na sede administrativa da Educação, localizada na Rua Mar Vermelho, 35, primeiro andar. Todas as especificações sobre os requisitos e documentação necessárias estão reunidas na Chamada Publica nº 02/2020, disponível na edição nº 3.976 do Jornal Oficial. Os participantes devem apresentar, entre os itens obrigatórios, um projeto de venda completo relacionado aos gêneros destacados no edital que sejam de seu interesse.

Atualmente, 185 unidades escolares recebem alimentos da agricultura familiar. O Município de Londrina trabalha com quatro cooperativas contratadas por meio de Chamamento Público, sendo que a Coafas, que é a cooperativa de Londrina, hoje é a maior entre as fornecedoras vinculadas.

A lista de gêneros alimentícios inclui várias categorias de produtos, em diversos grupos, incluindo hortifrútis convencional e orgânico, doces, bolacha, pão, feijão, arroz, sucos, filé de tilápia, laticínios e derivados, ovos, temperos, entre outros.

Segundo a assessora financeira da Secretaria Municipal de Educação, Marcia Figueiredo Barioto, para o ano letivo de 2020 houve um aumento em cerca de 20 itens na lista de gêneros alimentícios. “Produtos como manteiga, queijo muçarela e peixe são algumas das novidades na lista. Nosso intuito é que todo o valor disponível para a contratação deste Chamamento possa ser disponibilizado para os agricultores familiares, com prioridade a fomentar os de Londrina e região. O próprio edital já especifica que são priorizados, inicialmente, os assentamentos da região e comunidades quilombolas”, frisou.

De acordo com Barioto, Londrina vem ampliando, nos últimos anos, a margem percentual de recursos destinados à contratação de alimentos da agricultura familiar. De 2014 para 2015, este crescimento foi de 12% para 30%, referente ao total investido para essa finalidade.

(com N.Com)



Relacionados

Economia | 19-02-2020 07:15

Presidente afirma que não será 'refém' do Congresso

Presidente afirma que não será 'refém' do Congresso

Economia | 18-02-2020 17:15

Bolsonaro diz ter certeza que Guedes continuará no governo 'até o último dia'

Bolsonaro diz ter certeza que Guedes continuará no governo 'até o último dia'

Economia | 18-02-2020 14:00

Se governo não quer privatizar Correios, que decida logo, diz Maia

Se governo não quer privatizar Correios, que decida logo, diz Maia

Economia | 18-02-2020 13:30

Cade analisará se leva fusão de Boeing e Embraer a julgamento de tribunal

Cade analisará se leva fusão de Boeing e Embraer a julgamento de tribunal