Faturamento dos setores atacadista e de distribuição recua 9,29% em maio

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 11/07/2018 às 15:45

Foto: divulgação

O faturamento dos setores atacadista e de distribuição recuou 9,29% em maio, em termos nominais, ante igual período do ano passado, aponta pesquisa mensal da Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores de Produtos Industrializados (Abad), apurada pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Na comparação com abril houve leve alta de 0,05%. No acumulado de janeiro a maio o recuo foi de 4,60% ante igual etapa do ano anterior.

Em nota, o presidente da Abad, Emerson Destro, explica que a greve dos caminhoneiros prejudicou o desempenho do setor atacadista e distribuidor em maio assim como outros setores da economia. "Mas ninguém foi mais prejudicado do que a população, que é quem sempre paga a conta da instabilidade política e econômica", destaca.

Para o presidente da entidade, com o desemprego em alta é difícil pensar no crescimento do consumo ainda em 2018. "Começamos o ano com boas expectativas em relação à retomada econômica, mas o nível de desemprego continua alto e não há tempo para reverter essa situação com um cenário de eleições que vai tomar todo o segundo semestre.

"O ano de 2019 será mais um de resiliência. Esperamos que o novo presidente assuma com apoio suficiente do Congresso para implementar a agenda positiva de que o País tanto necessita", avalia.



Relacionados

Economia | 21-02-2019 09:30

IPCA-15 sobe 0,34% em fevereiro ante 0,30% em janeiro, revela IBGE

IPCA-15 sobe 0,34% em fevereiro ante 0,30% em janeiro, revela IBGE

Economia | 21-02-2019 09:05

Venda de aço da CSN no 4º trimestre fica levemente abaixo da média do mercado

Venda de aço da CSN no 4º trimestre fica levemente abaixo da média do mercado

Economia | 21-02-2019 08:50

Petrobras mantém sem alteração preço médio da gasolina e diesel nas refinarias

Petrobras mantém sem alteração preço médio da gasolina e diesel nas refinarias

Economia | 21-02-2019 08:35

Consumidores esperam inflação de 4,9% em 12 meses a partir de fevereiro, diz FGV

Consumidores esperam inflação de 4,9% em 12 meses a partir de fevereiro, diz FGV