IBGE: queda no varejo foi a mais acentuada para dezembro na série histórica

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 13/02/2019 às 11:00

A queda de 2,2% nas vendas do comércio varejista em dezembro ante novembro de 2018 foi a mais acentuada para essa época do ano em toda a série histórica, iniciada em 2001, informou nesta quarta-feira, 13, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Considerando todos os meses do ano, o recuo no volume vendido pelo varejo em dezembro ante novembro foi o mais intenso desde janeiro de 2016, quando as vendas caíram 2,5%.

No ano de 2018, a alta de 2,3% registrada pelas vendas do varejo foi a mais intensa desde 2013, quando o volume vendido cresceu 4,3%. Em 2017, as vendas tinham subido 2,1%.

Média móvel trimestral

O índice de média móvel trimestral das vendas do comércio varejista restrito ficou estável (0,00%) em dezembro de 2018, divulgou o IBGE.

No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, o índice de média móvel trimestral das vendas registrou recuo de 0,3% em dezembro.

Revisões

O IBGE revisou o resultado das vendas no varejo em novembro ante outubro, de uma alta de 2,9% para avanço de 3,1%. A taxa de outubro ante setembro passou de -1,1% para -0,9%.

O resultado do varejo ampliado, que inclui os segmentos de veículos e material de construção, também sofreu revisão: a taxa de novembro ante outubro passou de alta de 1,5% para aumento de 1,3%.



Relacionados

Economia | 16-02-2019 08:18

Para Paulo Guedes, momento é de espera

Para Paulo Guedes, momento é de espera

Economia | 16-02-2019 08:05

INSS investe em digitalização e fim de cargos políticos para combater fraude

INSS investe em digitalização e fim de cargos políticos para combater fraude

Economia | 15-02-2019 18:50

Dólar tem novo dia de queda, mas moeda resiste a cair abaixo de R$ 3,70

Dólar tem novo dia de queda, mas moeda resiste a cair abaixo de R$ 3,70

Economia | 15-02-2019 17:05

Juros futuros voltam a fechar em baixa, ainda em reação positiva à Previdência

Juros futuros voltam a fechar em baixa, ainda em reação positiva à Previdência

PUBLICIDADE