Economia

Economia

Juros fecham em baixa com aposta em vitória de Temer por ampla margem de votos


Juros fecham em baixa com aposta em vitória de Temer por ampla margem
Foto: Divulgação

Os juros futuros de longo prazo encerraram a sessão regular desta quarta-feira, 2, do segmento BM&F perto das mínimas do dia. A sessão para votação do relatório do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), que pede a rejeição da denúncia contra o presidente Michel Temer, na Câmara dos Deputados mobilizou todas as atenções no mercado.

As taxas ampliaram a queda faltando meia hora para o fim da sessão, na medida em que crescia a expectativa de aprovação do relatório por uma ampla margem de votos. Nesta tarde, a Câmara dos Deputados já reunia mais do que o quórum mínimo de 342 deputados necessários para a votação. Os contratos de curto e médio prazo igualmente fecharam em baixa, de menor magnitude em relação aos longos, ainda refletindo a perspectiva de novos afrouxamentos na política monetária.

A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2018 (155.250 contratos) fechou em 8,210%, de 8,230% no ajuste de terça-feira. A taxa do DI para janeiro de 2019 (246.355 contratos) terminou em 8,02%, de 8,05% no último ajuste. A taxa do DI para janeiro de 2020 (155.765 contratos) caiu de 8,69% para 8,64% e a do DI para janeiro de 2021 (271.545 contratos), de 9,28% para 9,23%. O DI para janeiro de 2023 (65.650 contratos) encerrou com taxa de 9,81% (mínima), de 9,88%.

Segundo relatório da Eurasia Group, Temer deverá conseguir mais que 172 votos para continuar no cargo, podendo ficar entre 280 a 300 votos. "Enquanto o PSDB tem indicado que perto de dois terços do partido votarão contra Temer, o governo foi capaz de obter expressivo apoio do PMDB e de outros partidos de centro, o que será mais que suficiente para posicioná-lo (Temer) acima da marca de 172 (votos)", apontou a Eurásia. "Algumas lideranças do governo estão contando com 302 legisladores."

Para a consultoria, uma forte vitória de Temer ajudará muito na sua sobrevivência política até o final do mandato em 2018 e dará condições para retomar as negociações no Congresso para viabilizar a aprovação da reforma da Previdência neste ano.


Selecione sua cidade

Cascavel | Londrina