Maia diz que Estados e municípios podem voltar à reforma no plenário

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 12/06/2019 às 20:00

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou considerar mais plausível que Estados e municípios possam ser reincluídos na reforma da Previdência quando a proposta for votada no plenário da Casa do que na comissão especial que analisa a matéria.

O relator da proposta, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), afirmou que deve retirar os entes federados do seu parecer porque ainda não há o apoio suficiente de parlamentares, o que poderia colocar em risco toda a proposta. Maia cobra que os governadores convençam os deputados de suas bases aliadas.

Segundo explicou o presidente, se houver um apoio efetivo dos governadores à reforma, inclusive os de oposição, com a garantia de votos, um destaque prevendo a inclusão de Estados e municípios nas mudanças das regras de aposentadoria tem chances de ser aprovado pelo plenário até mesmo com mais de 400 votos dos 513 deputados.

Maia destacou que os debates em torno da reforma acontecerão na próxima semana na comissão especial, que deve votá-la no dia 27 de junho.

Questionado sobre quando a proposta poderá ser aprovada tanto pela Câmara quanto pelo Senado, o presidente brincou: "Se eu tivesse capacidade de responder, jogaria na mega-sena".



Relacionados

Economia | 17-08-2019 08:30

PBoC divulga reforma em juros para reduzir custo de financiamento de empresas

PBoC divulga reforma em juros para reduzir custo de financiamento de empresas

Economia | 16-08-2019 18:20

Ibovespa sobe 0,76% no dia, mas encerra semana abaixo dos 100 mil pontos

Ibovespa sobe 0,76% no dia, mas encerra semana abaixo dos 100 mil pontos

Economia | 16-08-2019 18:10

Dólar fecha em R$ 4,00 e tem quinta semana consecutiva de valorização

Dólar fecha em R$ 4,00 e tem quinta semana consecutiva de valorização

Economia | 16-08-2019 17:10

4E: FGTS deve ter impacto positivo sobre PIB em 0,20 ponto porcentual em 2019

4E: FGTS deve ter impacto positivo sobre PIB em 0,20 ponto porcentual em 2019

PUBLICIDADE