Economia

Economia

Otimismo com reforma tributária faz bolsas de NY renovarem máximas


Otimismo com reforma tributária faz bolsas de NY renovarem máximas
Foto: divulgação

Os mercados acionários americanos fecharam em alta nesta segunda-feira, 18, à medida que os investidores se mostraram otimistas com a perspectiva de aprovação de uma ampla reforma no sistema de impostos dos Estados Unidos.

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,57%, a 24.792,20 pontos; o S&P 500 avançou 0,54%, a 2.690,16 pontos; e o Nasdaq teve alta de 0,84%, a 6.994,76 pontos, com os três indicadores renovando máximas históricas de fechamento. No intraday, o Nasdaq chegou a ultrapassar a marca psicologicamente importante de 7 mil pontos.

Os preços das ações, nos últimos pregões, seguiram em linha com a probabilidade de um plano de reforma tributária elaborado pelo Partido Republicano ser transformado em lei nos próximos dias. As negociações entre senadores e deputados da sigla deixaram os republicanos prontos para aprovar o projeto nesta terça-feira na Câmara e, no dia posterior, no Senado, a fim de enviar a medida para a mesa do presidente americano, Donald Trump, para a sanção presidencial ainda nesta semana.

Um corte no imposto corporativo poderia ajudar a aumentar os lucros das empresas e manter o longo rali dos mercados acionários americanos, apontam investidores e analistas, mesmo que alguns expressassem preocupações. "Pode ser um tiro no pé para o mercado de ações", disse o estrategista de mercados globais da J.P.Morgan Asset & Wealth Management, Alex Dryden. O setor financeiro tem sido um dos principais beneficiados com a perspectiva positiva para a reforma e, nesta segunda-feira, Goldman Sachs (+1,11%), Wells Fargo (+1,75%) e Bank of America (+1,52%).

No entanto, ações de gigantes de tecnologia foram algumas das maiores vencedoras do dia. O Twitter (+11,02%) foi o grande destaque do pregão desta segunda-feira, após o J.P.Morgan elevar a recomendação de compra da companhia de neutral para overweight. O preço-alvo da ação do Twitter de US$ 20 para US$ 27. Já a Apple fechou em alta de 1,41%, no mesmo dia em que a RBC Capital Markets reiterou a classificação outperform da companhia e o preço-alvo da ação em US$ 190, escrevendo que a empresa se dirige para um ano-novo saudável na China, visto que as pesquisas com consumidores indicam que a demanda está "muito forte" fora dos Estados Unidos para o iPhone X. (Com informações da Dow Jones Newswires)


Selecione sua cidade

Cascavel | Londrina