Portaria aprova sistemática para leilões de energia de geração existentes

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 14/09/2018 às 10:25

Portaria da Secretaria Executiva do Ministério de Minas e Energia (MME), publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira, 14, aprova a sistemática a ser aplicada na realização dos leilões de compra de energia elétrica proveniente de empreendimentos de geração existentes. A sistemática será aplicada nos leilões de energia existente "A-1" e "A-2", previstos para ocorrer em 7 de dezembro deste ano.

A Portaria editada hoje diz que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) deverá publicar, como adendo ao edital, detalhamento da sistemática prevendo: aceitação de propostas para um produto quantidade e para um produto disponibilidade, com início de suprimento em 1º de janeiro de 2019 e término de suprimento em 31 de dezembro de 2020, para o leilão de energia existente "A-1"; aceitação de propostas para um produto quantidade e para um produto disponibilidade, com início de suprimento em 1º de janeiro de 2020 e término de suprimento em 31 de dezembro de 2021, para o Leilão de Energia Existente "A-2"; e a comercialização de energia elétrica nos Leilões proveniente de fonte termelétrica, a biomassa e a gás natural, para o produto disponibilidade; e demais fontes, para o produto quantidade.



Relacionados

Economia | 09-07-2020 11:55

Procon diz que multará Enel por prática abusiva ligada a cobrança da conta de luz

Procon diz que multará Enel por prática abusiva ligada a cobrança da conta de luz

Economia | 09-07-2020 11:45

Ipea: consumo aparente de bens industriais no país cresce 3% em maio ante abril

Ipea: consumo aparente de bens industriais no país cresce 3% em maio ante abril

Economia | 09-07-2020 11:40

Após romper os 100 mil pontos, Ibovespa perde força com exterior

Após romper os 100 mil pontos, Ibovespa perde força com exterior

Economia | 09-07-2020 10:39

Pandemia causou impacto em 57% das companhias exportadoras, revela CNI

Pandemia causou impacto em 57% das companhias exportadoras, revela CNI