Precisamos combinar com o sistema bancário de avançar no crédito, diz Rabello

Redação Tarobá News
Economia | Publicado em 05/06/2017 às 04:10

O presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, disse nesta segunda-feira que vai se encontrar na próxima semana com o presidente do Banco do Brasil, Paulo Rogério Caffarelli, para estabelecer uma "coordenação creditícia". Segundo Rabello, a ideia é aproveitar o momento de queda da inflação e dos juros para combinar com o sistema bancário uma maneira de avançar no crédito.

"O BNDES não tem capilaridade para fazer a distribuição (de crédito). Nós precisamos conversar com os distribuidores para nos ajudar a fazer esse diálogo com o dono da padaria, com o dono da loja de móveis...", afirmou. De acordo com Rabello, "na hora que você começa a dar crédito, se Deus quiser, o emprego começa a retomar. Com o retorno do emprego, o mercado de trabalho deixa de piorar e o rendimento médio começa a surgir".

Rabello também exaltou o esforço do governo em mostrar que a equipe econômica está com discurso alinhado para fazer uma revolução micro e macroeconômica para ressuscitar o crédito. Ele reforçou que a aprovação das reformas estimularia o investimento do exterior no País, uma vez que os ativos brasileiros estão "baratos". "O BNDES entra nessa briga pra poder atuar. A infraestrutura está pra ser feita. O BNDES está com alguns instrumentos preparados para entrar na área de saneamento, na área de portos, de aeroportos, na área de energia...". (Flavia Alemi - flavia.alemi@estadao.com)



Relacionados

Economia | 20-02-2019 18:35

Petrobras eleva em 1,23% preço médio da gasolina nas refinarias, para R$ 1,6538

Petrobras eleva em 1,23% preço médio da gasolina nas refinarias, para R$ 1,6538

Economia | 20-02-2019 16:55

Guedes: reforma é para reduzir desigualdades e eliminar privilégios

Guedes: reforma é para reduzir desigualdades e eliminar privilégios

Economia | 20-02-2019 16:35

Marca de R$ 1 trilhão de economia é importante para reforma, diz Guedes

Marca de R$ 1 trilhão de economia é importante para reforma, diz Guedes

Economia | 20-02-2019 15:50

Gilmar diz que dará mais 12 meses para Congresso votar sobre Lei Kandir

Gilmar diz que dará mais 12 meses para Congresso votar sobre Lei Kandir

PUBLICIDADE