Relator diz que reforma trabalhista deve ser votada no plenário antes do recesso

Redação Tarobá News
Economia | Publicado em 30/05/2017 às 17:51

O relator da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Econômicos (CAS) do Senado, Ricardo Ferraço (PSDB-ES), afirmou nesta terça-feira, 30, que acredita que o projeto será votado ainda em junho no plenário da Casa, antes do recesso do meio do ano.

Após a sessão da CAE sobre o tema, Ferraço disse que não há debate sobre eventual pedido de urgência para a tramitação da reforma no Senado. "Há condições de votar reforma trabalhista no plenário entre duas e três semanas", disse, ao citar que a comissão votará o texto no dia 6 e o relatório será apresentado aos membros da Comissão de Assuntos Sociais (CAS) no dia seguinte, dia 7.

Na CAS, será concedida vista de uma semana para que o texto seja votado na semana seguinte. Depois, a proposta vai para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e para o plenário. Perguntado sobre a possibilidade de um acordo mudar a tramitação da reforma no Senado com mais rapidez, ele disse que "o tema não está posto".

"Não há nenhum debate ou reflexão sobre isso. Eu não acredito nisso", disse, sobre a possibilidade de avançar com o tema diretamente para o plenário em caso de acordo de líderes.

Sobre a coincidência das datas de votação da reforma na CAE e o início do julgamento da chapa Dilma-Temer no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia 6, Ferraço minimizou eventual preocupação. "São problemas diferentes. O TSE cuida da agenda deles e nós temos de cuidar da nossa agenda", disse.



Relacionados

Londrina | 22-09-2018 11:57

Londrina volta a ter saldo positivo na geração de emprego

Londrina volta a ter saldo positivo na geração de emprego

Economia | 22-09-2018 08:15

Royalties da mineração serão recorde este ano

Royalties da mineração serão recorde este ano

Economia | 22-09-2018 07:55

Embraer e Boeing têm data para concluir acordo

Embraer e Boeing têm data para concluir acordo

Economia | 21-09-2018 18:20

Dólar cai para R$ 4,0504 e tem maior queda semanal desde julho de 2017

Dólar cai para R$ 4,0504 e tem maior queda semanal desde julho de 2017

PUBLICIDADE