Resolução da ANP aumenta qualidade da gasolina

Estadão Conteúdo
Economia | Publicado em 17/01/2020 às 11:15

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aprovou na quinta-feira, 16, em reunião de diretoria, a resolução que tem por objetivo melhorar a qualidade da gasolina. O documento substitui uma resolução da ANP de 2013 e entrará em vigor assim que for publicada no Diário Oficial da União (DOU).

De acordo com a ANP, a revisão da especificação da gasolina automotiva contempla, principalmente três pontos. O primeiro é o estabelecimento de faixa de valores de massa específica da gasolina, o que significa mais energia e menos consumo.

O segundo é relacionado aos parâmetros de destilação (especificamente sobre a temperatura de destilação no ponto 50% evaporado, ou T50), que afetam questões como desempenho do motor, dirigibilidade e aquecimento do motor.

O terceiro ponto é a fixação de limites para a octanagem RON, já presente nas especificações da gasolina de outros países. A fixação de tal parâmetro mostra-se necessária devido às novas tecnologias de motores e resultará em uma gasolina com maior desempenho para o veículo.

Existem dois parâmetros de octanagem - MON e RON. No Brasil, só era especificada a octanagem MON e o índice de octanagem (IAD), que é a média entre MON e RON.



Relacionados

Economia | 18-02-2020 17:15

Bolsonaro diz ter certeza que Guedes continuará no governo 'até o último dia'

Bolsonaro diz ter certeza que Guedes continuará no governo 'até o último dia'

Economia | 18-02-2020 14:00

Se governo não quer privatizar Correios, que decida logo, diz Maia

Se governo não quer privatizar Correios, que decida logo, diz Maia

Economia | 18-02-2020 13:30

Cade analisará se leva fusão de Boeing e Embraer a julgamento de tribunal

Cade analisará se leva fusão de Boeing e Embraer a julgamento de tribunal

Economia | 18-02-2020 10:15

Petroleiros indicam continuação da greve, após TST considerar movimento ilegal

Petroleiros indicam continuação da greve, após TST considerar movimento ilegal

PUBLICIDADE