Londrina
Cascavel
  • Londrina
  • Cascavel
Londrina
Cascavel

Taxas futuras de juros caem com dólar e Focus corroborando corte extra da Selic

10/07/17 às 10:05 - Escrito por Estadão Conteúdo
Foto: Divulgação -

Os juros futuros operam em baixa, após abrirem com viés de alta nas taxas intermediárias e longas, em sintonia com a queda do dólar. Os economistas do mercado passaram a prever na Pesquisa Focus, divulgada na manhã desta segunda-feira, 10, um corte adicional da taxa Selic (a taxa básica de juros) em dezembro de 2017, corroborando expectativas dos investidores já precificada na curva de juros futuros.

Na Focus, conforme as projeções, após os dois cortes de 0,75 ponto porcentual, em julho e setembro, o Copom reduzirá a Selic em mais 0,25 ponto em outubro, com a taxa básica chegando nos 8,50% ao ano. No encontro de dezembro, seria feito o corte extra de 0,25 ponto. Assim, a Selic encerraria 2017 aos 8,25% ao ano, ante os 10,25% atuais.

Além disso, a expectativa para o IPCA em 2017 foi de 3,46% para 3,38% e, em 2018, de 4,25% para 4,24%, ante 4,37% de quatro semanas atrás. No Top5, a mediana das projeções para 2017 passou de 3,48% para 3,26%. Para 2018, a estimativa foi de 3,98% para 4,31%. A estimativa para o PIB em 2017 caiu de 0,39% para 0,34%, enquanto para o PIB de 2018 permaneceu em alta de 2%.

No radar dos investidores nesta segunda-feira está a sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, onde o relator da denúncia criminal contra o presidente Michel Temer, deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ), fará a leitura do seu parecer sobre a matéria a partir das 14h30. A defesa de Temer também poderá fazer sua primeira manifestação nesta segunda. Os investidores também aguardam a reunião de lideranças do PSDB em São Paulo para discutir possível desembarque da sigla da base aliada do governo.

Às 9h49 desta segunda, o DI para janeiro de 2018 estava em 8,765%, de 8,790% no ajuste de sexta-feira, 7. O DI para janeiro de 2019, a 8,75%, de 8,79% no ajuste de sexta. E o DI para janeiro de 2021 estava a 9,97%, de 10,01% no ajuste anterior. O dólar à vista recuava 0,47% no mesmo horário, aos R$ 3,2683. O dólar futuro para agosto caía 0,47%, aos R$ 3,2835.

Mais cedo, a FGV divulgou que o Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) subiu 0,14 ponto porcentual, para -0,18% na primeira quadrissemana de julho ante a última de junho, de -0,32%.

© Copyright 2022 Grupo Tarobá